Nenhum caminhoneiro gosta de pensar como está sujeito a imprevistos na estrada. Mas você sabe que o melhor é sempre prevenir e cuidar ao máximo da sua segurança e da sua família, certo? Você precisa de uma seguradora para isso? Talvez não! A resposta está na economia colaborativa!

Neste artigo, você vai entender o que é a economia colaborativa, como ela está relacionada às associações de proteção veicular e como tudo isso influencia a sua vida na estrada!

O que é economia colaborativa

Economia colaborativa é, essencialmente, dividir produtos ou serviços com outras pessoas. Em vez de recorrer às grandes empresas, você pode negociar com pessoas como você ou se juntar a um grupo que tem as mesmas necessidades para dividir custos.

Não é surpresa para ninguém que o consumismo seja um dos grandes problemas do mundo contemporâneo. Se, um dia, o consumidor já teve problemas com a escassez de ofertas — havia menos produtos e serviços à disposição —, hoje a preocupação é que há oferta demais de produtos e serviços de, praticamente, qualquer segmento de mercado.

À primeira vista, isso pode parecer uma vantagem. Afinal, quem não gostaria de ter uma imensa gama de opções de consumo?

Mas, ao lançar um olhar mais cuidadoso para esse cenário, você começa a perceber as falhas, como pessoas cada vez mais endividadas e profunda degradação ambiental.

De olho nesses problemas, a economia colaborativa tem ganhado força. É um termo que se tornou popular há relativamente pouco tempo, mas não é nada complicado de entender.

Como a economia colaborativa funciona

Ela entende que as pessoas já não desejam ou precisam de produtos ou serviços apenas para si. Insistir no modelo tradicional de economia não faz mais sentido e a economia colaborativa surge para orientar o consumo em uma direção de maior responsabilidade sócio-ambiental, tecnológica e, claro, vantajosa para o seu bolso.

Nesse modelo, pessoas dividem produtos e serviços, em vez de possuí-los. O exemplo mais claro é o Uber, que serve como plataforma de mediação entre passageiros e motoristas. A estratégia dá certo, e não é à toa que a empresa seja avaliada em bilhões de dólares no mercado.

Outro exemplo de sucesso é o Airbnb, plataforma que permite que pessoas comuns disponibilizem a própria casa para hospedagem de outros usuários.

Nos dois exemplos — que já têm até ganhado status de clássicos, por serem tão populares —, fica fácil perceber três pontos fundamentais da economia colaborativa.:

  • a negociação é mais direta, de pessoa para pessoa;

  • a tecnologia, nesse caso, não distancia as pessoas, mas as aproxima;

  • ter acesso a um serviço torna-se muito mais prático e, na maior parte dos casos, mais barato.

Como ela se aplica à proteção veicular

A tendência é que todos os segmentos sejam positivamente afetados pela economia colaborativa. No mercado da proteção veicular, ela chegou com força.

Como caminhoneiro, você já passou por esta situação: precisou fazer o seguro do caminhão e teve o perfil extensamente avaliado pela seguradora, apenas para descobrir que o preço do serviço, além de alto, obriga-o a um compromisso de um ano inteiro.

Os seguros de caminhão tradicionais estão longe de ser economia colaborativa, mas já existem outras iniciativas para proteger você e o seu veículo de maneira mais inteligente, econômica e sustentável!

São as associações de proteção veicular. Como você já entendeu, a economia colaborativa ancora-se na ajuda entre pessoas com necessidades parecidas, na maioria dos casos.

De maneira espontânea, caminhoneiros de todo o país perceberam que se associar era vantajoso de várias formas, como para conseguir diminuição dos preços quando compravam pneus e combustível coletivamente.

Mas o seguro, um dos pontos mais caros para o bolso de qualquer caminhoneiro, permanecia um motivo de preocupação. Então, grupos de motoristas voltaram os olhos para essa questão, e é daí que surgiram as associações de proteção veicular.

Como uma associação de proteção veicular funciona

Os benefícios que uma associação de proteção veicular oferece são os mesmos (ou até maiores, em alguns casos) do que uma seguradora tradicional, como você vai conferir mais adiante no texto. Mas o modo como elas funcionam é muito diferente.

A primeira diferença é o modo de calcular o valor da proteção. Uma seguradora comum avalia com cuidado o seu perfil completo — ela vai querer saber quanto tempo de carteira você tem, onde vive, como é sua família.

Já a associação de proteção calcula quanto você vai pagar segundo basicamente estes fatores:

  • o valor do seu caminhão;

  • o local de registro dele (a cidade e o estado que constam na placa);

  • quantos associados existem;

  • a ocorrência mensal de incidentes com os associados.

No próximo tópico, você esclarece as principais dúvidas sobre o assunto para decidir se vale a pena apostar em uma associação de proteção veicular!

Dúvidas comuns

A economia colaborativa, do modo como acontece hoje em dia, é um fenômeno bastante recente, portanto é comum que você tenha algumas dúvidas sobre os modos como pode se beneficiar de uma associação de proteção veicular.

É tudo mais simples do que você imagina! Descubra:

Como a indenização é calculada?

O modelo do caminhão precisa ser avaliado porque cada um demanda cuidados diferentes. Além disso, ele interfere diretamente na indenização realizada pela associação em caso de ocorrências.

Para ser justa com todos os associados, a associação de proteção veicular calcula o valor do carro segundo a Tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Ela é o instrumento mais preciso para obter um parâmetro do preço do caminhão em todo o Brasil.

Se os danos ao veículo forem menores do que 75% do valor do caminhão na tabela Fipe, você envia o carro para a oficina (após submetê-lo a três orçamentos)  e os gastos são cobertos. Já se o valor ultrapassa essa porcentagem, é declarada perda total e a associação o indeniza integralmente segundo o valor do caminhão na tabela Fipe no mês em que acontecer a compensação.

Também é estabelecida uma cota, de olho no benefício coletivo e com intenção de diminuir os gastos de todos os associados. Quando a perda do veículo é inferior a 75%, o associado arca com 3% do valor.

A associação tem lucros?

Existe uma série de diferenças jurídicas entre as seguradoras tradicionais e as associações de proteção veicular. Uma das mais fundamentais é a natureza do serviço prestado.

As seguradoras são registradas como empresas constituídas, geralmente, no modelo de Sociedade Anônima (S.A.), portanto, o lucro é um dos objetivos primordiais dela. Por isso, costumam requerer contratos anuais com o caminhoneiro e cobrar taxas de proteção mesmo quando não ocorrem acidentes.

Já associações são organizações sem fins lucrativos. Elas não existem para lucrar sobre sua proteção, mas para conectar caminhoneiros preocupados com a própria segurança, a dos colegas e, claro, em economizar!

Cada associado contribui com uma porcentagem do valor do caminhão mensalmente, mas realiza um pagamento extra – dividido entre todos – apenas quando há ocorrências no mês do pagamento.

Qual a sua relação com os outros associados?

A máxima de “um por todos, todos por um” é recorrente em alguns serviços que operam na lógica da economia colaborativa.

As associações de proteção veicular funcionam com ajuda do coletivo de caminhoneiros. Ela só é possível quando os motoristas se dispõem a se ajudar. O valor que cada um paga para manter a proteção possível fica menor à medida que mais pessoas se associam.

Esse tipo de proteção é cada vez mais popular, portanto a tendência é que os custos sejam ainda mais fragmentados no futuro. Quer conhecer caminhoneiros que já utilizam o serviço? Assista a alguns depoimentos marcantes!

A cobertura da associação é completa?

Você já entendeu as vantagens de apostar na economia colaborativa na hora de cuidar da segurança do seu caminhão. Mas o que exatamente uma associação de proteção veicular consegue cobrir?

Basicamente, tudo! Confira alguns pontos em que você garante segurança:

E, o melhor: a assistência é de 24 horas e você ganha em praticidade com as associações que funcionam a partir de aplicativos no celular! Chame de qualquer lugar, a qualquer hora e sem burocracia!

Quer conhecer mais detalhes sobre a economia colaborativa e aumentar a tranquilidade para você e para sua família? Entre em contato com a Proteauto e conheça mais vantagens de se juntar a uma associação de proteção veicular!