Muitos motoristas apaixonados pela profissão têm em vista se tornar um caminhoneiro. Para maioria dessas pessoas, essa é uma possibilidade de conquistar melhores salários e, em alguns casos, realizar o sonho de viver viajando pelo país.

Mas, partindo para o plano prático, podemos dizer que existem muitas dúvidas sobre o que significa, de verdade, ser um caminhoneiro. Para quem não teve ou não têm nenhum parente ou amigo próximo nessa profissão, fica difícil visualizar quais são os primeiros passos.

Pensando em você, caminhoneiro de primeira viagem, preparamos este post para que conheça qual a realidade de quem vive pelas estradas do Brasil e o que você precisa saber para se tonar um bom caminhoneiro. Para tanto, trataremos dos seguintes tópicos:

  • como você deve se preparar para a profissão;
  • como escolher o caminhão certo;
  • qual a importância da proteção veicular;
  • como planejar a sua viagem;
  • como lidar com manutenção, segurança e o seu frete.

Confira e saiba mais!

 Qualificação: como você deve se preparar

Antes de pensar em cair na estrada, o caminhoneiro de primeira viagem deve estar em dia com todas as suas obrigações legais em relação à habilitação. A categoria para dirigir caminhões é a ‘E’, sendo que boa parte das empresas exige pelo menos um ano de carteira nessa categoria.

Quanto a isso, é importante lembrar que, para conseguir a habilitação E, é necessário ser habilitado por pelo menos um ano na categoria D. A diferença entre as duas categorias fica por conta do número de passageiros que podem ser transportados e do peso bruto da unidade acoplada.

Na categoria E, o número de passageiros transportados pode ser superior a 8 e o peso do reboque (unidade acoplada) poderá exceder a 6.000 kg. Além disso, vale a pena investir em cursos como o MOPP (Movimentação e Operação de Produtos Perigosos).

Em cursos como esse, você ficará por dentro de tudo sobre a legislação vigente para o transporte de produtos químicos. Esse nível de qualificação te tornará apto a transportar uma maior variedade de cargas, o que terá um impacto positivo no seu rendimento como caminhoneiro.

Escolha o caminhão certo

A avaliação para comprar um caminhão deve ser um pouco mais elaborada do que na compra de um carro comum. Afinal, viajar centenas e centenas de quilômetros todos os meses representa um desgaste e tanto do motor e dos demais componentes do veículo.

Além disso, comprar o caminhão errado para a carga que você vá transportar pode fazer com que você perca oportunidades de fretes interessantes. Ou, até mesmo, pode inviabilizar toda a sua atividade.

Para melhor detalhar essa etapa tão importante na vida do caminheiro de primeira viagem, apresentaremos a seguir os principais pontos que você não pode deixar passar na hora de comprar um caminhão.

Orçamento

Quem compra um caminhão para trabalhar, obviamente, está pensando em fazer do veículo uma fonte de renda. Ou seja, reverter o investimento feito em um rendimento mensal satisfatório.

Em meio a esse cálculo, você não pode se esquecer de qual é a sua real necessidade no dia a dia. Isso porque o caminhão mais confortável, com maior capacidade de carga e motor mais potente, em muitos casos, pode ir muito além daquilo que você precisa para os seus primeiros meses “no trecho”.

O contrário também é válido. Caminhões velhos demais, além de colocar a sua segurança em risco, poderão representar um gasto indesejado com manutenção e reparos. Nesse momento, a palavra de ordem é ponderação. 

Por isso, para começar, escolha um modelo que caiba em seu orçamento e que atenda às necessidades do trabalho. Isso fará com que você não seja um caminhoneiro de primeira viagem endividado. Ao mesmo tempo, você terá um veículo confiável para realizar com sucesso todos os fretes.

Forma de pagamento

Para quem está começando, a forma de pagamento do caminhão é algo que merece destaque. E, assim como na aquisição de qualquer bem de maior valor, quem tem dinheiro em mãos leva alguma vantagem em relação a quem não tem.

Caso você precise de um financiamento, por exemplo, fique atento às condições estabelecidas pelos bancos e financeiras. As taxas variam muito de instituição para instituição. Uma boa pesquisa fará com que você consiga economizar um valor significativo.

No que se refere a prazos, é sempre bom projetar qual será a sua disponibilidade financeira a médio e longo prazo. Busque negociar uma prestação que caiba no seu bolso, para que você consiga honrar com o seu compromisso, quitando o seu caminhão o mais rápido possível.

Procedência

É chegada a hora de falar do ponto mais importante quando o assunto é comprar um caminhão.

Como sabemos, adquirir uma máquina 0 km está longe das possibilidades da maioria dos caminhoneiros que estão começando. Dessa maneira, resta tomar todas as precauções possíveis para avaliar um seminovo.

Para que tudo fique mais claro, confira os tópicos a seguir que podem servir como uma espécie de cartilha para quem vai comprar um caminhão usado.

  • Confira a parte externa do veículo, com o cuidado de verificar presença de massa plástica na lataria do veículo. Isso pode indicar se o caminhão já sofreu algum reparo por ocasião de alguma colisão ou batida;
  • Conheça o histórico de manutenção do caminhão. Para tanto, verifique quais peças foram trocadas e por quê. Com esse procedimento você conhecerá o que já estragou e terá condições de tomar os cuidados necessários para preservar o veículo;
  • Não abra mão de um mecânico de confiança para a avaliação. Mais do que verificar o histórico do veículo e ter atenção a aspectos visuais, você deve ter a ajuda de um profissional. Somente alguém com experiência em mecânica de veículos pesados poderá dar um diagnóstico preciso sobre o estado de conservação de um caminhão seminovo. Por isso, não confie apenas no seu próprio “taco”.
  • Não se esqueça do óbvio: a documentação. Jamais deixe de conferir se está tudo ok com os documentos do veículo. Isso envolve averiguar se os impostos estão pagos, se o caminhão tem alguma multa e se os itens de segurança estão de acordo com as normas do Detran.

Gasto com manutenção

Outro ponto que não pode deixar de ser analisado é o gasto com manutenção, uma vez que transportar cargas muito pesadas por longas distâncias fará com que você tenha uma despesa regular com reparos.

Por isso, antes de fechar negócio, confira se o modelo de caminhão a ser comprado possui peças para substituição dentro de um valor razoável.

Entenda por que a proteção veicular é importante

Agora que você já está por dentro de como analisar um caminhão para comprar, é chegada a hora de entrar em uma pauta muito sensível para quem ganha a vida pelas estradas: a segurança de seu patrimônio.

Quem já teve o mínimo de contato com caminhoneiros mais experientes sabe bem qual é a realidade. Roubos de carga e furto de caminhões, infelizmente, fazem parte do dia a dia desses profissionais. Somado a isso, temos os acidentes de trânsito que também são bastante recorrentes.

Tendo em vista situações como essas, não ter a proteção veicular pode significar a perda de um investimento conquistado com anos de trabalho ou até mesmo ao longo de toda a vida. Você está disposto a correr esse risco?

A resposta a essa pergunta só pode ser não. Portanto, não pense duas vezes e proteja seu patrimônio de eventos indesejados como sinistros e roubos.

Com isso, você terá a tranquilidade de trabalhar sem ter o medo de perder tudo o que você conquistou com muito suor e dedicação.

Por que a proteção veicular e não o seguro tradicional?

Hoje, existe no mercado de seguros a modalidade da proteção veicular. Trata-se de uma opção mais barata do que o seguro convencional e com as mesmas garantias. Ou seja, estamos falando de uma opção cujo custo-benefício é o maior que você pode ter.

Isso acontece graças à forma como o serviço é organizado. Diferentemente dos seguros, em que existe a chamada cotação (análise individualizada do veículo que serve para dar preço à apólice de seguros), com a proteção veicular os custos mensais com sinistros são rateados entre os associados.

Na prática, isso significa que independentemente de sua idade, tempo de habilitação e histórico do veículo, você pagará por uma mensalidade fixa equivalente a que for paga pelos demais associados com o mesmo tipo de cobertura que você tenha. 

Em se tratando de adesão, é muito simples aderir à proteção veicular. A depender da associação, você já sai com seu caminhão assegurado logo depois da inspeção do veículo, do pagamento da taxa de adesão e, claro, da assinatura do contrato. Um procedimento muito fácil de ser feito.

Além dos pontos já tratados, é importante destacar que as associações não têm fins lucrativos. Somado à forma eficiente com que o serviço é organizado, esse é um fator que contribui ainda mais para o barateamento da proteção.

Saiba planejar suas viagens

O planejamento de uma viagem é algo que até os caminhoneiros mais experientes costumam negligenciar. Esse tipo de comportamento leva a vários prejuízos, sendo o principal deles relacionado ao desperdício de tempo.

E não é difícil entender por quê. Quem não se planeja desperdiça horas e dias importantes perdido na estrada e, por conta disso, atrasa algumas entregas e deixa de fazer outros fretes que renderiam um bom dinheiro.

Em alguns casos, o hábito de não planejar a viagem acaba gerando uma reação perigosa. Isso porque o caminhoneiro que está atrasado — muitas vezes, por não se planejar — vai em busca de compensar as horas perdidas dirigindo durante seu período de descanso.

Horas incessantes de direção e pouco descanso. Não é preciso nem completar a história, pois todos sabem como isso termina, não é mesmo? Afinal, a maioria dos acidentes com caminhões decorre justamente dessa situação.

Dessa maneira, seja um profissional organizado: planeje todas as suas viagens com o maior nível de detalhes possível. Isso fará bem para a sua saúde, para sua segurança e para os seus negócios.

Para te ajudar nisso, apresentaremos em seguida tudo que você precisa saber para fazer um planejamento de qualidade. Falaremos sobre:

  • alimentação;
  • itinerário;
  • rotas;
  • informações sobre a carga.

Alimentação

Antes de pegar a estrada, nada de refeições pesadas. Dê preferência a alimentos mais leves e saudáveis que não farão com que você sinta sono ao volante. 

Se você, por exemplo, gosta de preparar as suas próprias refeições, como muitos caminhoneiros fazem, não se esqueça da salada. A combinação arroz, feijão e carne — consagrada pela família brasileira — pode não conter todos os nutrientes de que você precisa.

Uma dieta equilibrada tem o potencial de te deixar mais disposto para encarar muitas horas à frente do volante. Essa é uma questão que vai refletir tanto em seu bolso, quanto na sua saúde. Leve a sério a forma como você se alimenta e sinta a diferença!

Itinerário

Em uma viagem bem planejada não pode faltar um itinerário organizado. Isso envolve não só estabelecer os pontos de chegada e partida, mas calcular bem cada parada que será feita ao longo do percurso.

Com isso, é importante que você estabeleça em quais locais você vai parar para se alimentar, dormir e abastecer. Para um itinerário completo, também devem ser levados em consideração os intervalos nos pedágios.

Em muitos postos de policiamento e pedágio há o procedimento de pesagem. Isso pode demorar um tempo considerável em alguns casos, portanto, não deixe de contabilizar esse tempo ao planejar sua viagem.

Rotas

Escolher o melhor caminho para chegar a seu destino é muito importante para que você evite perder tempo. Muitas vezes, ao iniciar a viagem sem planejar a rota, você passará por alguns trechos, principalmente em zona urbana, em que o trânsito estará carregado, fazendo com que você fique retido por um tempo significativo.

Para contornar situações como essa e sempre escolher a melhor rota, vale a pena investir em um bom GPS. Alguns modelos te darão informações precisas inclusive sobre o trânsito. Estamos falando de uma comodidade e tanto para quem vive pelas estradas!

O seu ganho em produtividade, em poucas semanas, será suficiente para cobrir a aquisição desse equipamento. Para não restar dúvidas, converse com colegas caminhoneiros para atestar as vantagens relacionadas à tecnologia GPS.

Informações sobre a carga

Cada tipo de carga a ser transportada tem uma especificidade. Para cargas vivas, refrigeradas ou inflamáveis, por exemplo, haverá um protocolo detalhado sobre o que se deve ou não fazer. Sem entrar em maiores detalhes, temos por obrigação informar que é muito importante conhecer a carga transportada e sua legislação.

Em se tratando de detalhes logísticos, especificamente, fique atento às informações relacionadas aos procedimentos de carga e descarga. Para tanto, você precisa verificar com atenção os seguintes pontos:

  • horário e local para carga e descarga;
  • contato dos responsáveis por receber (destinatário) e embarcar (embarcador) a carga;
  • documentação necessária para atestar a entrega e o recebimento dos produtos;
  • notas fiscais dos produtos transportados para apresentar em postos de fiscalização.

Não ter o devido cuidado com essas questões pode representar o fim de sua viagem. Em uma blitz de fiscalização, por exemplo, é muito comum observarmos caminheiros tentando explicar aos policiais os motivos de não terem em mãos todos os documentos referentes à carga.

E, como sabemos, apenas explicações não bastam. Em situações assim, a multa é certa e a interrupção do frete uma possibilidade. Trataremos desse ponto na sessão seguinte ao falarmos sobre a popularmente chamada lei da balança.

Aprenda a lidar com manutenção, segurança e o seu frete

Manutenção e segurança são questões-chave para qualquer caminhoneiro bem-sucedido. Para quem ainda está em suas primeiras viagens, pode ser difícil lidar com esses dois fatores. Aprenda agora como proceder:

Peso da carga

Depois de embarcar a carga, é preciso ter certeza sobre o peso total do veículo. Nos procedimentos de pesagem realizados pela Polícia Rodoviária Federal não existe meio-termo: caminhões com excesso de carga são multados. Em alguns casos, a depender do excesso de peso, deve ser realizado o transbordo da carga.

A chamada lei da balança (resolução 210 de 2006 do CONTRAN) estipula limites claros para a carga máxima por eixo e estabelece também o valor das multas a serem pagas. A alíquota para se calcular o valor a da infração sobe de acordo com as faixas de peso excedente.

Um caminhão com excesso de peso apurado em até 600kg pagará, em média, R$ 5,00 por kg excedente. Para veículos que estejam na faixa seguinte de peso (600 a 800 kg) a alíquota é mais do que o dobro, R$ 10,64.

Por meio de uma conta simples podemos perceber que rodar com o veículo irregular pode sair muito caro para o caminhoneiro. Definitivamente, não vale a pena correr esse risco.

Além da multa, cabe chamar a atenção para outros prejuízos. Um caminhão com excesso de peso danifica as estradas e sobrecarrega o seu próprio motor e sistema de freios — o que coloca em risco a segurança do caminhoneiro e de quem está à sua volta.

Documentação

Este ponto já foi abordado anteriormente, mas nunca é demais reforçar: antes pegar a estrada, certifique-se de que os documentos do veículo e sua habilitação estão em dia.

Além disso, fique atento aos documentos relativos à carga. Nos procedimentos de embarque e desembarque e nos postos de fiscalização eles serão solicitados, como já foi dito em outras sessões.

Revisão e checklist para a viagem

Na hora de revisar o caminhão antes de longas viagens, é fundamental ficar ligado em alguns itens e peças que são mais exigidos e dizem respeito à segurança. Confira o checklist a seguir:

  • sistema de freios e suspensão;
  • pressão do óleo e dos pneus;
  • parte elétrica do caminhão;
  • arrumação da carga (checagem de cordas, altura, lacres e lonas).

Não se esqueça também de sempre abastecer em postos de combustível de confiança. O uso de diesel de má qualidade por longos períodos pode trazer muitos danos ao motor de seu caminhão. Por isso, tenha planejado aonde você abastecerá, como já abordado na sessão sobre como planejar a viagem.

Comportamento a direção

Não basta estar tudo ok com o caminhão se o seu comportamento na direção coloca você e os demais veículos da via em situações de perigo. Dessa maneira, dirija com cautela, sem fazer ultrapassagens perigosas.

Além disso, fique atento à sinalização das estradas e transite sempre pela faixa destinada a veículos pesados. E, claro, não se esqueça do cinto de segurança!

Protocolos de segurança

O que chamamos de protocolos de segurança é a forma como você deve agir em assaltos e o que fazer evitá-los. De antemão, é importante frisar a regra número 1 para lidar com assaltantes: nunca reaja!

A maioria das pessoas devem estar cansadas de ouvir isso, mas ainda assim existem casos de motoristas que infelizmente não seguem essa cartilha. Situações como essa, no geral, têm um fim trágico.

Por isso, não arrisque sua vida! Caminhoneiros mais experientes costumam dizer que caminheiro morto — assim como o que é assaltado — continua sem salário. Não há máxima melhor para expressar o argumento de que não se deve reagir.

Agora, vejamos o que deve ser feito para você reforçar a sua segurança, evitando assaltos.

  • Nunca dê informações sobre a carga transportada. Isso pode chamar a atenção de gente mal-intencionada;
  • Ao receber sinais de estranhos, não dê carona ou pare o caminhão. Infelizmente, não há forma de identificar se tudo não passa de uma simples carona ou pedido de ajuda;
  • Invista em sistemas de alarme e segurança. Quanto a isso, avalie a possibilidade de adquirir um serviço de rastreamento de forma conjunta à proteção veicular. Essa é uma combinação das mais interessantes para proteger o seu patrimônio;
  • Estacione seu caminhão em locais apropriados e bem iluminados;
  • Nunca deixe o veículo aberto ou com a chave no contato;
  • Evite deixar objetos de maior valor expostos na cabine;

Com este artigo, esperamos que você possa se preparar bem para encarar a vida pelas estradas. Seguindo todas as dicas aqui apresentadas, acreditamos que você logo estará apto a mudar de status, deixando de ser um caminhoneiro de primeira viagem e passando a ser reconhecido como um profissional das estradas bem-sucedido.

Desejamos muito sucesso para você em sua jornada! E, para que não percamos contato e você continue a receber informações preciosas sobre o universo da “vida estradeira”, assine a nossa newsletter!