Se você trabalha com o transporte de cargas, sabe que é uma verdadeira tentação investir no excesso de peso em caminhões. Embora seja ilegal, muitos gestores se sentem atraídos pela possibilidade de reduzir os custos e transportar cada vez mais coisas de uma só vez.

Caso seja essa seja a sua situação, é bom saber de cara que essa não é a melhor opção. O excesso de carga pode tornar o caminho ainda mais perigoso e, por isso, deve ser evitado a todo custo. Conheça hoje alguns problemas dessa prática e deixe-a para trás de uma vez por todas!

Danifica e compromete a mecânica do caminhão

Carregar uma grande quantidade de peso também pode ser uma péssima medida para a própria mecânica do caminhão. Pense que essa é uma maneira de sugar ainda mais forças do seu veículo, pois ele precisa se desgastar bastante para sair da inércia e transportar aquela carga toda.

Um exemplo é o desgaste prematuro dos pneus. Quem investe no excesso de peso em caminhões precisa trocá-los mais cedo, já que eles sofrem mais com o deslocamento. E esse é só um dos exemplos, pois, a medida também influencia transmissões e freios, aumentando consideravelmente a necessidade de troca.

Como você deve imaginar, todo esse desgaste traz um gasto ainda maior em questões de manutenção — o que pode representar uma queda considerável na lucratividade do seu negócio.

E não é só isso: quando o caminhão fica irregular, isso também pode representar um risco ainda maior para o motorista e outros veículos. Isso acontece porque ele pode não responder com toda agilidade que é esperada, aumentando as chances de acidentes e outros problemas.

Possibilidade de ser multado

O Brasil conta com uma regularização para o transporte de carga. Isso significa que o excesso de peso é considerado uma infração e, inclusive, está prevista no Código Brasileiro de Trânsito (CTB).

O próprio Contran já soltou uma resolução em que a tolerância de carga chega a, no máximo, 5% do limite de peso bruto total (PBT). Somente dentro desse limite o caminhão pode passar pelos equipamentos de pesagem (balança rodoviária) sem nenhum tipo de multa ou penalização.

Quando essa verificação não é possível, já que sabemos que um grande problema do Brasil é justamente a fiscalização, a avaliação é feita caso a caso. Tudo isso por meio de uma análise do documento fiscal e um acompanhamento. Se o peso estiver dentro da tolerância, o transporte pode prosseguir.

Entretanto, vale lembrar que não é só isso. O excesso deve estar bem distribuído e não pode penalizar apenas um dos dois eixos. Esse caso também pode significar multa, pois a parcela de peso passa do limite aceito sobre o eixo. É fundamental que a carga seja redistribuída antes de pegar a estrada.

Então, é bom ficar de olho e entender que o excesso de peso em caminhões pode simbolizar uma perda de lucro e até mesmo suspensão da carteira de alguns motoristas.

Cria um ambiente propenso ao tombamento

O tombamento de um caminhão pode ser um dos maiores fantasmas de quem trabalha com o transporte de cargas. Além de representar a perda de toda a carga e um longo trabalho, ela coloca a vida do motorista e outras pessoas em risco — o que pode render indenizações altíssimas (e que não são recuperadas se o motivo for o excesso de carga).

Como a alta quantidade de carga dificulta muito na hora de dirigir, essa é uma atitude que coloca vidas em risco. Pense como pode ser bem mais difícil fazer curvas fechadas ou ainda manobras mais delicadas com um veículo grande e pesado. Motivos de sobra para ser mais prudente, concorda?

Para não ter que lidar com todo esse desconforto, é fundamental ficar atento ao limite de peso e a distribuição correta da carga. Essa é a melhor maneira de lidar com a situação! 

Promove um desgaste nas rodovias

Se você já trafegou em rodovias com alto fluxo de caminhoneiros, basta se dirigir para a pista deles e perceber como elas são consideravelmente piores. Isso acontece porque o excesso de peso em caminhões desgasta a rodovia, aumentando os buracos e dificultando o tráfego de todas as outras pessoas.

Quem tem o carro menor sente ainda mais os impactos dessa medida, o que é péssimo. Pense que os buracos provocados por essa situação aumenta a necessidade de manutenção de todas as outras pessoas, além de desalinharem muitos veículos.

Quando chegam a um nível insustentável, o Governo precisa se mobilizar para consertar a situação — o que representa mais um gasto público e um investimento gigante para melhorar a condição.  

Interfere na performance do caminhão

Engana-se quem pensa que essa situação atrapalha apenas a vida dos outros. O excesso de carga também dificulta o trajeto do próprio motorista.

Considere que um caminhão muito pesado não consegue responder com a mesma agilidade que no peso normal, o que acaba interferindo na capacidade de resposta que ele tem. Se ele precisa frear, é natural que precisa investir um pouco mais de tempo que um veículo mais leve.

Quem anda na pesagem permitida consegue fazer com que o caminhão trafegue com mais velocidade, tenha um melhor desempenho na viagem e até mesmo consiga entregar com um espaço de tempo melhor.

Outro ponto diretamente influenciado é o gasto com combustível. Como precisa de muita força para se movimentar, ele também gasta ainda mais combustível para conseguir ser bem-sucedido.

Contribui para a poluição do ar

O excesso de peso também é um fator que contribui para o aumento da emissão de gases poluentes. Nada mais natural, já que o veículo consome mais combustível — que gera uma maior queima e piora as condições dos gases emitidos. Por essas e outras, o mais indicado é controlar a quantidade de carga e assim preservar o ambiente.

Depois de entender todos os problemas que o excesso de peso em caminhões pode trazer, não deixe de repensar nessa atitude. Cuide da sua carga, do seu caminhão, do motorista e outras pessoas no trânsito: trafegue com a quantidade permitida!

Para acompanhar essas e outras dicas sobre a vida do caminhoneiro, não deixe de assinar a nossa newsletter. Assim você não perde nada e recebe tudo diretamente no seu e-mail!