Quem possui um caminhão deve conhecer as diferentes formas de proteger seu bem contra acidentes, roubos, problemas mecânicos, entre outros transtornos que podem colocá-lo em risco.

Isso é importante especialmente para quem o utiliza para trabalhar, obtendo renda por meio dele, seja no transporte de cargas nas estradas, seja nas entregas logísticas dentro de zonas urbanas. Nesse sentido, a proteção veicular surge como uma importante opção para se obter maior segurança para seu patrimônio.

Ela garante maior tranquilidade para você e seu veículo, sendo fundamental em momentos de urgência, sinistros de cargas, acidentes, entre outros eventos.

Para se ter uma ideia, segundo matéria da Revista Carga Pesada com dados da Polícia Rodoviária Federal, de março a julho de 2015 houve 18.008 acidentes envolvendo caminhões nas estradas federais brasileiras. Embora o número de ocorrências semelhantes no mesmo período em 2016 tenha diminuído, a quantia ainda foi significativa, com 11.191 casos.

Tal ponto demonstra a necessidade de se contar com uma alternativa de proteção que garanta apoio rapidamente nos casos citados acima. Para isso, é essencial compreender a importância da proteção veicular para caminhões, umas das principais opções do tipo no mercado — o que, aliás, você verá nesse artigo.

Então, se você se interessou pelo assunto, não deixe de acompanhar as principais características e vantagens da proteção veicular que separamos a seguir. Confira!

O que é proteção veicular?

Uma proteção veicular funciona de forma similar a um seguro, oferecendo cobertura em situação de furto, roubo, acidente (colisão, tombamento etc.), alagamento, incêndio, entre outros.

Também pode indenizar terceiros, fornecer serviços de hospedagem, guincho e táxi, além de diversos benefícios após momentos de tensão nas estradas, evitando que o motorista fique desamparado.

Vale destacar que a proteção veicular também permite o cadastro de qualquer condutor habilitado, não havendo custo adicional.

Qual a diferença entre proteção veicular e seguro?

Embora a proteção veicular e o seguro possam entregar serviços semelhantes, eles se diferenciam em alguns aspectos.

O primeiro deles é em relação a quem oferece o serviço, pois o seguro é gerido por uma organização seguradora de veículos e a proteção veicular é comercializada por uma cooperativa ou associação de pessoas (motoristas).

No seguro, o proprietário do veículo coberto transfere para uma seguradora tradicional o risco do seu bem, ficando ela responsável pelos eventos e sinistros assumidos na apólice feita.

Já na proteção veicular, não há uma apólice firmada. Nessa modalidade, os proprietários dos veículos se reúnem e formam uma associação em que, por meio de um contrato de responsabilidade mútua, todos ficam responsáveis pelos veículos associados.

Dessa forma, os riscos dos carros, caminhões da cooperativa ou da associação são distribuídos entre todos os que participam dela, numa espécie de sistema de rateio. Nele, os custos com sinistros (furtos, roubos, acidentes etc) dos associados são divididos de forma direta.

Essa característica facilita o atendimento no menor tempo possível, de modo ágil e desburocratizado, caso um associado tenha algum contratempo que esteja previamente especificado na proteção veicular — assim como ocorre em um seguro.

Nos casos aptos a receberem as coberturas, a associação não só cobre os custos dos associados com os veículos, desde que atendidas as condições da proteção, como cuidam da contabilidade e demais pontos jurídicos dos processos.

Elas também verificam a legitimidade dos sinistros, fazem parcerias com empresas de guinchos, hotéis, oficinas mecânicas etc., visando oferecer mais benefícios aos cooperados.

Para deixar claro, a proteção veicular funciona como um fundo gerenciado por uma associação corretamente registrada e legalizada, em que os participantes dividem entre si os custos mensais dos sinistros que aconteceram no período.

Devido ao seu tamanho, que costuma englobar centenas e até milhares de associados, o custo mensal para se ter acesso aos benefícios da proteção veicular costuma ser bem menor do que num seguro.

Contudo, vale destacar que elas não oferecem “seguros”, já que não são propriamente reguladas pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP). Ainda assim, podem entregar opções e possibilidades de proteção para seu veículo por valores menores.

Também é importante ressaltar que a proteção veicular é um serviço legal, tendo base no Código Civil e na Constituição Federal.

Como funciona a proteção veicular para caminhões?

Contar com uma proteção veicular para caminhões é extremamente necessário, principalmente por conta do aumento da criminalidade nas estradas — especialmente roubos de cargas. Segundo um estudo da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), de 2011 a 2016 os registros de roubos de cargas subiram cerca de 86% no Brasil, indo de 12124 para 22547.

Isso colocou o país como o oitavo mais perigoso do mundo para o transporte e fretes, estando até mesmo à frente de nações que estão em guerra ou possuem conflitos civis, tais como Eritreia e Sudão do Sul.

Com base nessas informações, fica evidente a importância de se adotar medidas de proteção, dentre as quais a proteção veicular para caminhões ganha grande relevância, já que oferece diversos benefícios aos motoristas.

Por exemplo: existe a possibilidade de se obter serviço de rastreamento, o que permite localizar a carga em caso de furto, extravio ou roubo. Também há serviços específicos, como destombamento no caso de acidentes e guincho para levar o caminhão para o conserto.

A proteção veicular para caminhões funciona do mesmo modo que a dos demais veículos, como apontado acima. Em suma, ela integra uma rede de associados que pagam um valor mensal para a Associação gerir, dividindo os custos dos veículos que sofreram problemas no mês nas mensalidades.

Quais as principais vantagens da proteção veicular?

Existem muitas vantagens obtidas com a proteção veicular, entre as quais podemos destacar:

Facilidade na adesão

Com a proteção veicular, a adesão é simplificada, com o associado passando a ter a cobertura no mesmo dia ou após a assinatura do Laudo de Inspeção Veicular, da Proposta de Associação e da quitação da taxa de adesão.

Avaliação conforme a tabela Fipe

A Tabela Fipe é usada como base para se estipular o preço médio dos veículos comercializados no país. Quando há a necessidade de se indenizar um associado, o valor adotado é o de mercado, que é delimitado pela Fipe, e não o preço de aquisição do veículo (por conta da depreciação sofrida).

No caso de um sinistro, a associação se responsabiliza pelos danos sempre que o valor do conserto for maior que o valor da cota de participação de 3% — ou franquia, sobre a qual falaremos depois.

Se os valores dos serviços de conserto de um veículo forem superiores a 75% do preço dele, a associação pode considerar perda total e realizar a indenização integral do bem conforme a Tabela Fipe.

Se, por outro lado, os danos forem menores que 75%, o caminhoneiro poderá enviar o veículo para uma oficina mecânica autorizada para o conserto, sendo que a Associação se encarrega de pagar por ele até o limite estipulado no contrato.

Vale ressaltar que, para indenizações integrais, o valor de referência é o que define a Tabela Fipe no mês de pagamento da indenização, e não da ocorrência do sinistro. Isso significa que, se houver perda total no mês de março, porém o pagamento for realizado em abril, o valor de referência usado será o de abril.

Cobertura mesmo após o vencimento das mensalidades

Numa Associação de Proteção Veicular, seu caminhão pode continuar coberto por até 5 dias depois do vencimento de uma mensalidade.

Isso garante maior comodidade e segurança caso o contratante se esqueça de pagar os valores, não tenha o dinheiro na data de pagamento ou venha a acontecer um problema que o impossibilite de quitar a quantia em tempo hábil.

Por outro lado, nas seguradoras, geralmente já se perde a proteção um dia após o vencimento do seguro, caso não tenha ocorrido o pagamento.

Serviço de reparo rápido e guincho

Numa eventual situação de pane, a Central de Assistência poderá enviar socorro elétrico ou mecânico, de acordo com a disponibilidade de prestadores desses serviços no local do evento. No entanto, há limitação a serviços imediatos, como reparos rápidos, para que o caminhão seja consertado no local onde está caso isso seja tecnicamente possível.

Em uma situação de maior gravidade, será providenciado o guincho para que o caminhão seja conduzido a uma oficina autorizada mais próxima do lugar do ocorrido. Contudo, o associado pode solicitar o envio a outro local de sua preferência, desde que a distância de deslocamento não seja superior ao limite de sua proteção veicular.

A Central de Assistência se responsabilizará pelos gastos de mão de obra gerados no socorro elétrico ou mecânico, se for possível sua execução no lugar onde ocorreu o evento.

Nesse contexto, são excluídas despesas com aquisição ou substituição de equipamentos, peças ou mão de obra que forem cobradas para o serviço realizado devido ao sinistro (mas que tenha sido executado em outro ambiente).

Vale destacar que a rapidez desse tipo de serviço pode ser essencial para o motorista e sua carga, pois panes e acidentes em locais remotos de alta periculosidade e criminalidade podem trazer mais transtornos. Com um atendimento dinâmico e ágil, os riscos diminuem drasticamente.

Cobertura para danos feitos a terceiros

Nos acidentes ocorridos por culpa de um associado e que envolvam terceiros, a proteção veicular pode garantir o reparo de um ou mais veículos afetados até um limite previamente contratado. Esse valor pode variar entre R$ 50.000,00 e R$ 100.000,00.

Esse é um benefício adicional para quem deseja ampliar sua cobertura, desde que seja contratado previamente.

Nesse ponto, vale destacar que, para quem já é associado, é possível adquirir uma apólice de seguro que contenha coberturas maiores e condições especiais junto a uma corretora de seguros que seja parceira da Associação de Proteção Veicular.

Possibilidade de incluir rastreamento na proteção veicular

Como já mencionado anteriormente, existe a possibilidade de se incluir serviços de rastreamento na sua proteção veicular.

O sistema de rastreamento veicular permite localizar seu caminhão à distância, sendo uma excelente opção para a prevenção de transtornos e recuperação da carga e do veículo em caso de furto ou roubo.

É importante ressaltar que a recuperação de veículos monitorados por sistemas de rastreamento chega a ser bem-sucedida em 98% dos casos.

Também vale destacar que, ao contar com essa tecnologia, é possível agir de forma mais tranquila diante de um assalto, evitando reagir e tornar a situação ainda mais perigosa. Sabendo que basta acionar a Central após a abordagem criminosa para dar início às buscas, fica mais fácil manter a calma em um momento de tensão.

Outro ponto importante é que um rastreador ajuda a localizar um veículo e seu motorista em uma situação de sequestro, aumentando as chances de um resgate efetivo e rápido.

Os serviços de rastreamento costumam funcionar por 24 horas todos os dias da semana, cobrindo os períodos de maiores riscos, como madrugadas e noites — inclusive durante feriados.

Esse cuidado garante maior segurança para cargas e caminhões, permitindo a identificação do ponto em que o veículo está de modo constante e rápido. Isso é essencial para recuperá-lo com a ajuda das autoridades após um roubo, antes que ele seja desmanchado.

Serviço de destombamento

Os acidentes envolvendo capotamentos estão entre as principais causas de danos às cargas e aos veículos individuais, além de frequentemente resultarem em ferimentos graves em motoristas de caminhões.

Somado a isso, existem outros riscos quando falamos de caminhões-tanque (que carregam cargas explosivas ou tóxicas), de plataforma ou que levam contêineres. Eles podem tombar facilmente devido aos seus formatos estreitos e altos, ação essa que tem mais chances de ocorrer em entradas de estradas, terrenos desnivelados, rampas de saídas e curvas mais fechadas — e tudo isso inclusive a velocidades baixas.

Para ajudar caso ocorra algo assim, existe a cobertura que fornece serviço de destombamento, que pode ser integrada à proteção veicular. Dessa forma, um caminhão tombado pode ser devolvido à pista rapidamente com a ajuda de parceiros autorizados e especialistas nesse tipo de serviço.

Serviço de táxi em caso de sinistro

Em situação de roubo, furto, incêndio, acidente ou outro problema semelhante e que seja um sinistro, o associado receberá o serviço de táxi para levá-lo ao seu domicílio residencial. Vale lembrar que esse serviço só pode ser acionado se o problema tiver ocorrido em até 40 km de sua residência, cujo endereço conste em seu cadastro.

Serviço de hospedagem

Após um evento previamente atendido, o motorista pode solicitar junto à Central de Assistência um local para se hospedar, cujas diárias serão custeadas pelo plano de proteção, inclusive para seus acompanhantes, conforme a capacidade legal do caminhão.

Contudo, essa estadia possui condições, como um valor de diária máximo estipulado por pessoa e incapacidade de se consertar o veículo no mesmo dia. Também é preciso que o sinistro tenha ocorrido a uma distância mínima de 100 km do domicílio do associado, além do retorno à sua residência estar obstruída (ou não ser possível) por causa de condições locais.

Vale destacar que geralmente é permitido ao motorista escolher um hotel com valor maior ao estabelecido, desde que arque com a diferença. Alimentação e outros serviços não são cobertos e o limite máximo custeado normalmente é de duas diárias.

Menor tempo hábil para obter a cobertura da proteção

Uma Associação costuma ser desburocratizada, o que possibilita a ela cumprir adequadamente com seus prazos na entrega das restituições, bem como proceder com a validação da adesão no ato da contratação da proteção veicular.

Após qualquer sinistro, o associado poderá contatar diretamente profissionais que resolverão o seu problema, sem que seja necessário ligar e tentar contato várias vezes com a instituição. Além disso, há maior flexibilidade nas negociações e o motorista não precisará enfrentar transtornos na entrega da sua restituição pela associação.

Possibilidade de incluir seguro de vida

Algumas Associações disponibilizam a inclusão de uma apólice de seguro de vida por meio de uma parceria com uma corretora de seguros tradicional. Para adquiri-la, o associado precisa informar o seu interesse nesse seguro no ato da adesão, de modo a informar o departamento responsável possa fazer a inclusão dele na apólice.

Dessa forma, em caso de falecimento, alguém da família do associado receberá uma indenização financeira, diminuindo o impacto no padrão de vida econômico de seus dependentes, ao menos por um tempo.

Existem coberturas que podem incluir custos do funeral, além de indenizarem associados também em situações de enfermidade grave, invalidez, entre outros casos.

Vantagens diversas

Existem outras vantagens que os associados podem receber ao aderir à proteção veicular, como serviços 24 h de chaveiro, apoio na falta de combustível e transporte para remoção do caminhão.

Além disso, em casos mais graves, é possível contar com cobertura para remoção inter-hospitalar e envio de acompanhante em situação de acidente, além de traslado de corpos, se houver falecimento.

Qual é a relação entre custo e benefício?

Como já mencionado, os preços da proteção veicular costumam ser menores do que os de seguros de carro e outros veículos. Esses geralmente são cobrados pelas seguradoras em uma única cota ou por meio de parcelas pré-fixadas.

Por outro lado, as Associações cobram um valor de mensalidade, sendo composto pelo rateio mensal de todos os prejuízos ocorridos com os caminhões dos associados da cooperativa no mês anterior. Somado a isso, há uma taxa de administração.

Um item que ajuda a diminuir as mensalidades é a chamada cota de participação. Ela consiste em uma porcentagem do valor do conserto do veículo que o associado se responsabiliza a pagar no momento em que precisar acionar a cobertura da sua proteção.

Ela foi pensada para minimizar o rateio de prejuízos dos caminhões entre os associados, sendo uma maneira de reduzir o valor a ser pago por todos os participantes. O padrão da cota de participação costuma ser de 3% do valor do veículo, consistindo na quantia que o associado contribui para quitar os custos de perda parcial do caminhão.

Isso significa que, no caso de danos parciais inferiores a 75% do valor do seu veículo, ele precisa arcar com essa porcentagem. Por exemplo: se os reparos de um caminhão de R$ 100.000,00 forem equivalentes a 50% do seu preço, o custo total será de R$ 50.000,00. Desses, R$ 47.000, 00 serão pagos pela Associação e R$ 3.000,00 pelo associado (os 3%).

Dessa forma, você poderá calcular melhor se vale a pena pagar essa cota ou se deseja aumentá-la, visando diminuir ainda mais as mensalidades, o que talvez compense em médio e longo prazo.

Diferença de preços entre proteção veicular e seguro

O valor médio de um seguro de caminhão convencional pode variar de 10% a 12% do preço do veículo na tabela FIPE — e isso ao ano. Por exemplo: se um veículo custa R$ 340.000,00, o seu seguro pode ficar entre R$ 34.000,00 e R$ 40.800,00.

Já o valor de uma proteção veicular pode gerar economia de até 60% em relação a esse seguro tradicional, com preços entre R$ 13.600,00 e R$ 16.320,00 correspondentes aos 40% restantes.

Isso se deve ao fato de as Associações não possuírem fins lucrativos, o que torna a proteção veicular muito mais em conta do que o seguro tradicional.

Também não há avaliação de perfil dos condutores, não se analisa se possuem garagem, onde moram, seu gênero, sua idade, há quanto tempo estão habilitados para dirigir, entre outros pontos. Isso significa que todos os associados são tratados de forma igualitária, tendo os mesmos direitos.

Como visto acima, os benefícios da proteção veicular são amplos, compensando os valores investidos e a tornando muito vantajosa em relação ao seguro convencional. Sendo assim, esse método de proteção possui uma excelente relação entre custo e benefício.

Vale lembrar que é importante adquirir a proteção veicular com uma Associação de bastante prestígio e renome no mercado, verificando sua estrutura, os benefícios entregues e se sua documentação está em dia, legalizada e corretamente registrada em cartório.

Também é fundamental avaliar a extensão da proteção veicular oferecida e se os contratos permitem a inclusão dos serviços adicionais mencionados acima.

Lembre-se, também, de primar por boas práticas na condução de seu caminhão, procurando escolher um bom combustível, analisando e buscando reduzir o desgaste dos pneus, fazendo manutenções preventivas e até mesmo optando por rotas otimizadas.

Essas ações ajudam a evitar problemas com panes, quebras e outros transtornos que podem ocasionar sinistros mais sérios, como acidentes, capotamentos e incêndios no veículo. Todavia, mesmo com esses cuidados, problemas podem ocorrer. Nessas situações, é vital contar com uma boa proteção veicular.

Agora que você já conhece todos os benefícios da proteção veicular, que tal aprender algumas dicas importantes para conseguir mais fretes? Se você ficou interessado, então baixe o nosso e-book Dicas para conseguir mais fretes e continue aprendendo!