De acordo com levantamento feito pela FIRJAN, o Brasil é um dos países com maior incidência de roubo de carga — entre 57 países, ocupa a 8ª posição de países mais perigosos para transportar mercadorias. Além disso, nossas estradas estão longe do ideal, tanto no que diz respeito à infraestrutura, quanto no que se refere à segurança. 

Pensando nesse grave problema que afeta diretamente a todos os profissionais do transporte rodoviário de cargas, preparamos este texto com informações e dicas pontuais sobre o que você, caminhoneiro, pode fazer para minimizar esse risco. Confira!

Entenda esse grave problema

Alguns fatores agravaram a situação e contribuíram para o aumento de roubo de cargas no país. O número reduzido de agentes da Polícia Rodoviária Federal é um dos principais.

Com um efetivo reduzido, e sofrendo cortes por falta de verbas, a Polícia Rodoviária Federal do Estado do Rio de Janeiro, por exemplo, teve, nos últimos 5 anos, um decréscimo de 36% no que se refere ao número de agentes em suas estradas. O pior é que as estradas do Rio são as mais perigosas do país, com altíssimo índice de roubo de cargas. 

O crime de receptação e armazenamento de mercadorias roubadas tem crescido também. A isso se atribuiu a insuficiência dos mecanismos legais para a punição efetiva dos que respondem por essa prática. Precisa-se de leis mais rígidas para o combate desse crime, pois é ele que dá suporte à prática do roubo de cargas.  

O que ocorre, na verdade, é que essas células e estruturas criminosas estão cada vez mais se organizando e se fortalecendo no país, o que gera um círculo vicioso de roubo, receptação e impunidade.

Como explicado na introdução, essa situação levou o Brasil a ocupar, ao lado do Iraque, o oitavo lugar no ranking de maior índice mundial de roubo de cargas. Há aqui uma “indústria do roubo de cargas” que gera bilhões de reais de prejuízos anualmente às transportadoras brasileiras. 

Realidade em números

Ainda de acordo com outro levantamento realizado pela consultoria FreightWatch International, que é especializada no setor de transportes, o Brasil é o campeão mundial dessa modalidade de crime, à frente de alguns dos países mais pobres do mundo, como Somália e Síria.

Segundo os dados da pesquisa, as 3 rodovias mais afetadas pelo crime de roubo de carga são a Anhanguera (17% dos casos), seguida da Régis Bittencourt (11%) e a Fernão dias (com 9%).

Outra informação importante é que 42% dos roubos são deflagrados no momento da entrega das cargas. O que, por si só, já evidencia o caráter organizacional dessas ações dos bandidos

Somente no ano de 2015, houve o registro de mais de 19,2 mil ocorrências de roubo de cargas registradas no Brasil, causando à federação, um ônus de 1,2 bilhão de reais. 

A FIRJAN estima que que 85,8% das ocorrências, um total de 16.408 roubos, tenha ocorrido na região sudeste entre 2011 e 2015. O estado do Rio de Janeiro tem a maior fatia desse número: 37,5% do total dos roubos na região  ocorreram em estradas cariocas.

Itens mais visados

Os itens mais visados pelos assaltantes são os eletroeletrônicos, e a alta incidência de roubo de carregamentos desses produtos em nossas estradas faz com que o consumidor final sinta o impacto no próprio bolso na hora de comprar. 

Celulares, tablets, notebooks e TV’s chegam a sofrer aumentos de preço em até 40% por conta dos valores pagos pelas fabricantes às empresas seguradoras, que cobram caro pelo alto risco que têm que cobrir durante o transporte rodoviário de cargas.

Dicas para se proteger

Mas o que o motorista de caminhão pode fazer para não acabar nos noticiários como vítima de roubo de cargas? Há algumas precauções que todo caminhoneiro precisa adotar. Vamos a elas!

Trace uma boa rota

Primeiramente, preocupe-se  em estabelecer e cumprir rigorosamente uma rota com locais seguros para as suas paradas. Verifique o local de entrega da carga com o contratante e já trace seu plano com paradas seguras para a viagem.

Não pare na pista

Ou pare apenas em lugares que indiquem ser confiáveis. Evite, por exemplo, o hábito de parar para “bater pneu” ao longo da estrada, isso poderá tornar sua carga um alvo fácil. 

Caso alguém sinalizar para você, indicando problemas no seu veículo, não pare para conferir o que é. Aguarde a próxima parada para checar a informação. Quando fizer a sua pausa, não pare em acostamentos. Procure um posto de gasolina movimentado e, de preferência, de uma bandeira conhecida.

​Se possível, conte com os companheiros 

Isso mesmo, se puder, ande em grupo. Para os bandidos, motoristas desacompanhados são um alvo mais atrativo, pois terão menos possibilidades de reação.

Os assaltantes costumam ser adeptos da lei do mínimo esforço, então, caso você possa viajar em comboio e, de preferência, sempre com um caminhão visível ao outro, será um alvo mais difícil para eles.

Desconfie sempre

Já que as rodovias brasileiras são locais tão perigosos, você já sabe que deve evitar qualquer elemento estranho, por isso, não interaja com quem você não conhece. 

Há muitos tipos de golpes nas estradas, entre os quais, aqueles em que o criminoso finge oferecer ou precisar de ajuda. Caso alguém te peça para parar, não pare, anote a placa e o modelo do veículo e informe às autoridades assim que puder.

Não dê carona

Evite ao máximo dar carona a estranhos e fornecer qualquer informação sobre o que você está transportando ou sobre sua rota de entrega. 

Evite pernoitar fora do veículo e planeje o abastecimento

Caso a única opção seja pernoitar no caminhão, trave o veículo e descanse dentro dele. Além disso, sempre planeje o abastecimento do caminhão para o mínimo possível de paradas, ou seja, viaje com o tanque cheio.

Previna-se

Antes de embarcar, confira e guarde todos os documentos do veículo com você. Se possível, faça algumas marcas nos componentes principais do caminhão para que possa identificá-lo depois — caso seja roubado e recuperado pela polícia.

Dê sempre preferência às viagens diurnas, mas, se for pegar estrada à noite, veja a possibilidade de seguir um comboio. Para se prevenir de roubos,  observe também os seguintes cuidados:

  • dê preferência a postos urbanos para abastecer;
  • não estacione em locais com pouca iluminação;
  • não contrate ajudantes desconhecidos;
  • não descuide da vigilância do veículo.

Esperamos que com essas dicas fresquinhas você agora esteja munido de toda a informação para evitar o roubo de carga. Não se esqueça de compartilhar esse conteúdo em suas redes sociais, assim seus companheiros de estrada também saberão como se proteger desse crime!