No Brasil, o aumento da criminalidade é uma realidade assustadora para a população, mas não é necessariamente uma surpresa. Para muitos, esse é um risco que já faz parte do cotidiano. Entre todos os crimes em crescimento, uma modalidade se destaca: o roubo de carros e caminhões.

Nos últimos anos, considerando a instabilidade no cenário político e econômico do país, principalmente nas grandes capitais, tem havido cada vez menos segurança nas ruas. Isso criou diversas oportunidades para bandidos ampliarem o número de ocorrências. Se você trabalha nas estradas, já deve estar ciente da situação.

Nesse contexto, o melhor que a população pode fazer é se prevenir. Se você quer entender mais sobre esse cenário, acompanhe este texto e veja o que precisa saber!

Aumento considerável do roubo de cargas

De acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgados pela Folha de São Paulo, 2016 teve aproximadamente um roubo de veículo por hora, seguido de desmanche ilegal. A maior taxa foi registrada no Rio de Janeiro, com mais de 900 crimes por 100 mil veículos em circulação.

Parte do aumento do roubo de carros e caminhões se deve à alta taxa de roubo de cargas, um dos crimes mais cometidos em diversas partes do país. Vários caminhoneiros são abordados e têm a carga levada por criminosos. Por sua vez, esta é vendida a preços muito abaixo do mercado em variados mercados ilegais.

Estradas mais perigosas para os caminhoneiros

O destaque do Rio de Janeiro também inclui algumas das vias de transporte mais perigosas para o transporte de cargas. O pior é que, devido à estrutura urbana, elas dificilmente podem ser evitadas pelas transportadoras. Hoje em dia, as duas que mais se destacam são:

Rodovia Presidente Dutra

Sendo a principal estrada que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, é natural que quase todo transporte de cargas feito entre as capitais passe por essa avenida. Por isso mesmo, é também um dos pontos críticos para o roubo de carros e caminhões na região.

Como ela fica em uma região próxima do Complexo do Chapadão e do Complexo da Pedreira, duas favelas pouco observadas pelo poder público, o índice de violência tende a ser sempre alto.

Avenida Brasil

Na mesma região, também está um trecho da Avenida Brasil, principal via expressa do Rio de Janeiro e via de acesso entre a cidade e diversas indústrias. Da mesma forma, ela também é alvo comum para roubos de carga, além de outros crimes. O que agrava a situação é o baixo critério nessas ações. Bandidos podem atacar qualquer veículo, sem se preocupar com o seu conteúdo.

Crescimento do número de mortes

Outro dado a ser considerado é que, juntamente ao número de roubos de carros e caminhões, também tem crescido a taxa de homicídios ao redor do país.

Não há nenhum estudo indicando que esses roubos estão influenciando o total de mortes ou vice-versa. Ambos podem ter a mesma causa ou serem pura coincidência. Porém, ainda é uma correlação preocupante, em especial para quem trabalha nas estradas.

É sempre relevante lembrar que, independentemente do contexto, reagir a um roubo não é uma boa ideia. A maioria dos assaltos e roubos de carga em estradas são feitos à mão armada, em áreas controladas por facções criminosas e em grandes grupos.

Levando em conta ainda o aumento do número de homicídios, é menos arriscado para o motorista atender às demandas do que tentar salvar o conteúdo da carga.

Importância da prevenção contra roubo de carros e caminhões

Isso não significa que não existam outras maneiras de lidar com a situação, tanto para empresas quanto para o próprio motorista. Alguns desses investimentos tendem a ser bem pesados, contudo, dependendo do contexto, podem valer a pena. Abaixo, saiba mais sobre algumas das principais soluções!

Seguradoras de veículos

A maioria das empresas de transporte e indústrias contrata alguma forma de seguro para suas cargas. Dessa forma, caso ocorra algum roubo, ainda será possível recuperar o dinheiro e evitar boa parte do prejuízo. É um recurso praticamente obrigatório para garantir que um novo produto seja entregue ao destinatário.

Porém, é preciso observar que o aumento da criminalidade também elevou o risco ao qual as empresas de seguro estão sujeitas. Resultado disso é um maior tempo de carência, custo mensal elevado e mais burocracia para receber o valor integral. Mesmo assim, é possível que seja a maneira mais viável de diminuir os problemas em caso de roubo em sua frota.

Rastreamento e escolta

Uma opção mais drástica aplicada por algumas empresas contra o roubo de carros e caminhões é usar rastreamento de veículo e escolta — às vezes, armada. Dependendo do valor do conteúdo, esse tipo de segurança pode ser necessário.

Obviamente, esse não é um recurso ao qual o caminhoneiro independente tem muito acesso. Além de ser caro, o simples fato de haver uma escolta já pode chamar a atenção de bandidos.

Além disso, não raramente, os criminosos sabem lidar com esses sistemas de segurança. Como exemplo, em uma ocorrência relatada numa reportagem da Folha de São Paulo, os bandidos evitaram o acionamento do alarme fazendo o motorista sair pela janela sem abrir a porta.

Associações de proteção veicular

A opção mais prática para motoristas autônomos e outros profissionais da área sempre costuma ser a cooperação. Em linhas gerais, uma associação de proteção veicular é uma organização sem fins lucrativos que reúne motoristas para se protegerem mutuamente desse tipo de crime.

Todos os fundos arrecadados são usados para compensar o prejuízo de seus associados ao longo do ano, além de manter uma estrutura mínima de administração. Dessa forma, é possível oferecer um valor acessível para quem precisa de mais segurança.

Também há outros benefícios em fazer parte desse tipo de associação, como assistência técnica, guinchos, rastreamento e desconto na substituição de pneus e de pequenas manutenções.

Então, depois de entender um pouco mais sobre o quadro do roubo de carros e caminhões no Brasil, você deve saber também a importância de se prevenir. Se deseja manter seu caminhão protegido, pode entrar em contato com a Proteauto Brasil e fazer parte da nossa associação. Podemos ajudá-lo a lidar melhor com essas situações!