O que será que se projeta para o futuro da profissão de caminhoneiro? Quais são as novas tecnologias para caminhão apontadas como fortes tendências para esse futuro?

Os constantes avanços da tecnologia vão aos poucos reconfigurando o mercado de trabalho nas mais diversas áreas. Com o setor de transportes não seria diferente. Atualmente, já estão em uso diversas tecnologias que facilitam a vida do caminhoneiro e que avançam a passos largos.

Pensando nessa questão, resolvemos desvendar esse universo futurista mostrando ao caminhoneiro algumas indicações de como a tecnologia vai dar uma nova cara ao seu trabalho em um futuro próximo. Acompanhe!

As previsões tecnológicas para o futuro

Os caminhões hoje em dia já são menos poluentes e cheios de recursos tecnológicos digitais. É comum encontrar nos modelos mais novos sensores de estacionamento, câmeras e GPS integrado aos computadores de bordo. Funções como leitura da topografia da estrada, frenagem e câmbio automático também integram os gigantes modernos.

Isso indica que um enorme salto tecnológico já foi dado nas últimas décadas — o que virá adiante? A resposta traz uma perspectiva instigante: os caminhões, assim como os carros populares, também se tornarão veículos autônomos.

Essa tecnologia que já está sendo desenvolvida promete reduzir custos para empresas de transportes e reconfigurar o trabalho dos caminhoneiros, tornando-o mais especializado.

A redução de custos com o caminhão autônomo é alcançada pela precisão da condução computadorizada, que levará em conta dados sobre desgaste de peças, consumo de combustível e impacto ambiental durante os percursos. Detalhes aerodinâmicos do design do Mercedes-Benz FT também reduzem o consumo de diesel em até 4,5%.

Além disso, espera-se diminuir os acidentes nas estradas poupando o caminhoneiro do grande desgaste que o leva muitas vezes a não dormir bem ou até mesmo a passar noites em claro tendo, assim, o seu desempenho no volante seriamente comprometido por isso.

O caminhão autônomo da Mercedes-Benz

Nesse campo, uma das novidades que mais tem gerado especulações e expectativas é o Mercedes-Benz Future Truck. Embora a empresa tenha declarado que a estimativa para o lançamento de seu caminhão autônomo é para 2025, os testes com o protótipo já impressionam.

O Mercedes-Benz FT tem mecânica muito semelhante ao gigante Mercedes Actros 1845, com 449 cv de potência e 224,3 kgfm de torque e transmissão automática de 12 marchas.  Além disso, ele possui tecnologia Cruise control, ou controle de cruzeiro, que permite manter o veículo estável na velocidade estipulada pelo sistema.

O alerta de frenagem e o alerta de mudança de faixa presentes no caminhão autônomo da Mercedes-Benz são tecnologias que já estão em uso em carros na Europa e Estados Unidos. No entanto, no caminhão do futuro, eles conversam entre si e trocam dados, comunicando-se com o computador central.

Dessa maneira, esses recursos tornarão a direção autônoma nas estradas uma das formas mais seguras de transporte. A tendência é que essa tecnologia também seja usada no transporte público urbano. Como consequência, espera-se obter no futuro um trânsito mais seguro e organizado, tanto nas estradas e rodovias quanto no perímetro urbano.

É também com esse objetivo que o protótipo do Mercedes-Benz FT faz uso das mais avançadas tecnologias automotivas e de AI (Artificial Intelligence). As câmeras laterais do caminhão capturam o movimento do meio-fio e o usa como parâmetro para guiar com precisão as curvas a serem feitas.

Outras lentes instaladas nos retrovisores do gigante filmam as imagens que são projetadas em uma tela instalada na cabine ou no tablet removível que também integra o painel do Mercedes-Benz FT.

Outro detalhe a ser observado é a eficiência milimétrica do seu sistema de frenagem. Guiado por radares instalados nos para-choques, o sistema de freios do caminhão impressiona ao captar os mínimos indícios de obstáculos na pista, acionando a frenagem no ponto e na proporção exatas para que ela aconteça com total segurança.

Isso é possível graças ao longo alcance de seus radares (que captam tudo em um raio de 250 metros. Há também uma câmera estéreo para monitorar a faixa de rodagem.

Esse dispositivo consegue capturar imagens a 100 metros do caminhão. Testes realizados com o protótipo mostram a extrema precisão com que o caminhão pode realizar as curvas nas condições ideais.

No entanto, é preciso mencionar que o sucesso do projeto Mercedes-Benz FT depende da demarcação correta das faixas, de boa sinalização na estrada que o oriente, pois esses dados é que alimentam o computador na pilotagem automática do caminhão.

Por isso, a previsão de lançamento também está restrita aos EUA e à Europa, que possuem estradas mais bem pavimentadas.

O caminhoneiro como gestor de transporte

Ao ler esse texto, o caminhoneiro pode estar pensando: “essa tecnologia vai tomar o meu lugar”. No entanto, não se trata disso. Ao contrário, o caminhão autônomo tem o potencial de tornar a sua viagem muito mais segura e de auxiliá-lo de forma sem precedentes na realização de seu trabalho.

Além disso, Mercedes-Benz FT só será homologado para trafegar nas rodovias, sendo o trajeto pelas cidades feito pelo motorista. Ademais, o caminhão autônomo não sai da garagem sozinho, a função do condutor ainda se preserva.

Na verdade, trata-se mais de um recurso avançado de piloto automático que poderá ser acionado pelo motorista nas estradas. Entretanto, a existência de caminhões autônomos não deixará de modificar profundamente a profissão de caminhoneiro, pelo menos da maneira que a conhecemos hoje em dia.

Liberado dos volantes nas estradas, ele assumirá um papel menos operacional e mais estratégico, desempenhando funções como analista de logística ou gestor de transportes.

Trabalhando para a empresa contratante ou para a sua própria, o futuro gestor de transportes também terá que se atualizar para realizar bem o trabalho de representação comercial nas entregas. Afinal, ele será o elo principal de contato entre a empresa e o cliente.

As novas perspectivas para o caminhoneiro

Claro que isso se refletirá na valorização da profissão de caminhoneiro, o que é muito benéfico para os caminhoneiros de primeira viagem, no sentido de que abre boas perspectivas para o futuro na profissão.

Além disso, essas novidades anunciadas com o caminhão autônomo só confirmam a necessidade de abertura dos profissionais das estradas às novas tecnologias de conectividade e indicam um caminho a seguir para ser bem absorvido pelo mercado daqui a alguns anos.

E então, caminhoneiro, gostou dessas informações fresquinhas sobre as tecnologias para caminhão? Então compartilhe este post em suas redes sociais. Dessa forma seus amigos também poderão ficar especialistas no assunto!