Como escolher a melhor rota do seu caminhão?

9 minutos para ler

Você tem 100% de segurança com seu caminhão? Confia na qualidade das peças, na montagem da fábrica, em todas as manutenções já feitas e no combustível que usa? Bom, ainda assim, não dá para ter certeza que nenhum problema pode acontecer, não é?

Nenhuma dessas coisas está sob nosso poder. Mesmo abastecendo em bons postos, por exemplo, a qualidade do combustível tem que ser testada. As peças podem desenvolver problemas com o tempo — os chamados “vícios ocultos” que, por isso mesmo, já são cobertas pelo Direito do Consumidor.

Então, o que sobra? Escolher a melhor rota para fretes e serviços é uma das poucas coisas que restam, e sobre a qual temos realmente alguma intervenção. Algo que pode salvar ou condenar uma viagem.

Entre outros hábitos, a escolha da melhor rota pode garantir economia, rapidez na entrega, segurança no trânsito e até evitar furtos e assaltos. Por isso, continue lendo e veja, neste post, as 6 maneiras de escolher a melhor rota!

Qual o conceito de roteirização?

Podemos definir o conceito de roteirização como o processo de definição de um roteiro para a entrega ou coleta de cargas, bem como para a realização de serviços específicos de transporte. Em outras palavras, trata-se de uma estratégia que projeta a rota mais adequada, de acordo com o objetivo esperado: ter mais velocidade, economizar combustível e assim por diante.

Nos dias de hoje, nos quais experimentamos situações caóticas de trânsito e vivemos com problemas sérios de segurança, além da volatilidade dos preços do diesel, a roteirização se torna cada vez mais relevante no setor logístico, fazendo uma grande diferença entre assegurar a lucratividade do negócio ou angariar tremendos prejuízos ao final do mês.

 Por que é importante fazer roteiros?

O setor logístico, assim como praticamente todos os segmentos do mercado, vem sendo cobrado por uma grande excelência no serviço prestado, uma vez que a concorrência é acirrada e os clientes não estão mais dispostos a enfrentar uma série de problemas. Ao mesmo tempo, para funcionar, é preciso manter os custos controlados e evitar desperdícios.

Independentemente do tamanho ou do tipo da frota, fazer roteiros é algo que produz uma série de benefícios importantes, promovendo a eficácia e a eficiência da operação. Para isso, é crucial adotar ferramentas capazes de gerar informações relevantes e rápidas, que economizarão combustível, reduzirão o desgaste dos pneus e trarão muitas outras vantagens.

Quais as tecnologias que podem ajudar?

Veja, a seguir, que tecnologias podem ajudar na concepção de um bom roteiro.

GPS (Global Positioning System)

É muito provável que você já esteja familiarizado com o conceito de GPS, sigla para Global Positioning System. É uma tecnologia largamente utilizada há muitos anos, tendo sido criada nos Estados Unidos, ainda nos anos 1970. Embora a sua aplicação inicial fosse de uso militar, o uso civil se espalhou em todo o planeta.

O funcionamento é bastante conhecido, com um satélite enviando o sinal ao aparelho receptor em solo, que pode ser um celular, um tablet ou um dispositivo automotivo específico. Com isso, você consegue ver sua posição geográfica e o tempo esperado para cumprir determinado trajeto, mesmo que as condições climáticas não estejam favoráveis.

Sistemas de roteirização

Os sistemas de roteirização já são populares entre profissionais de transportadoras e empresas do ramo logístico. Eles estão entre o que há de mais moderno em termos de soluções no segmento, ajudando a compreender qual a melhor alternativa para a realização de uma entrega, retirada ou demais serviços comuns da área.

Com a ferramenta, é possível traçar a rota ideal, conduzindo a atividade com muito mais precisão. Entre as principais funcionalidades, podemos destacar a customização dos módulos do programa, de maneira que possam se adaptar às necessidades e ao porte do negócio, fazendo a roteirização de forma mais ágil e eficiente.

Quais as dicas para escolher a melhor rota?

Você já aprendeu muito mais sobre o conceito de roteirização e algumas das principais tecnologias que vêm sendo usadas dentro do segmento nos dias de hoje. No entanto, ainda existem conhecimentos importantes, que devem ser observados para o sucesso da operação logística. Agora, vamos dar algumas dicas para a escolha da melhor rota. Acompanhe!

Planeje com antecedência

Ninguém sai com o caminhão da garagem sem saber bem aonde vai, até quando deve chegar e se retorna em seguida ou parte para uma próxima viagem. Então, todo caminhoneiro já está acostumado a fazer algum planejamento.

No geral, esse planejamento traça a conexão das rotas e a qualidade dos caminhos. Mas, aqui, vamos além disso. Afinal, o melhor trajeto não é sempre o mais comum ou o mais confortável.

Muitas vezes, pegar um caminho alternativo pode significar diminuição de desvios para pontos de entrega ou evitar rotas muito visadas por criminosos. Assim, as recompensas são menos tempo na estrada, economia de combustível e mais rapidez no serviço.

A manutenção do veículo também deve entrar no planejamento. Isso porque, se o caminhão estiver quebrado ou com algum defeito, sua eficiência fica comprometida.

Caso você não tenha o veículo disponível, não há outro jeito além de rejeitar o serviço. Ignorar defeitos é pior: um imprevisto pode acontecer durante a viagem, o que pode trazer multas por atraso ou um conserto muito mais caro.

O planejamento vai ajudá-lo a reduzir o tempo na estrada, diminuir os riscos da viagem e calcular melhor o frete. E, para isso, observe tanto os custos diretos, como os custos indiretos do transporte.

Calcule os prós e os contras

As rotas sempre vão apresentar pontos bons e ruins. Elas podem ter boas estradas, mas muito fluxo de veículos, ou podem ter estradas ruins, mas serem mais curtas. É sempre um jogo de perdas e ganhos, em que você deve tentar conseguir o máximo de acessibilidade e segurança, na menor distância.

Estradas pouco acessíveis, em geral, tomam mais tempo do motorista, fazendo com que segurança ou proximidade saiam caras. Já as rotas pouco seguras podem pôr a perder o investimento na viagem — e o risco de ter a carga roubada, nesse caso, é grade.

Por isso, colete informações na internet, com colegas de profissão e em aplicativos. Mais do que só segurança e acessibilidade, as características da rota podem interferir no valor do frete. E, além do valor do combustível, essas características podem entrar no chamado “cálculo de generalidades”.

Nessas generalidades entram, por exemplo, taxas de estadia do veículo, de dificuldade de entrega ou de escolta armada. E todas devem ser negociadas com o cliente, de acordo com a rota combinada.

Conheça as restrições do cliente

Com certeza, você já passou por clientes que eram bem específicos na hora de receber a carga: com regras e limitações sobre horário, condição de descarga e ordem de recebimento.

Além de tornar a entrega mais complexa, essas restrições podem inviabilizar algumas rotas. Por isso, anote bem as condições de cada cliente para saber se há restrições, como de tipo de veículo, ou se há agendamento, ou não. Assim, você diminui o risco de entregas duplicadas e devoluções.

Use a tecnologia

O conhecimento comum, adquirido com a experiência, é muito importante, já que possibilita ao motorista dispor de informações privilegiadas, como qualidade das estradas e ocorrências de assaltos em determinados locais. Ainda assim, o uso de tecnologias é indispensável.

Por isso, aproveite recursos como o GPS e o monitoramento de tráfego, que agregarão mais informações à sua experiência. Sem dúvida, essas ferramentas ajudam a prevenir e contornar problemas na estrada.

E há ainda outras ferramentas que ajudam a verificar o veículo, como o monitoramento do estado do motor em tempo real. Fique de olho nelas!

Faça rastreamento do veículo

É comum os gestores de frota usarem o rastreamento para supervisionar o trajeto que motoristas fazem, conferindo se estão cumprindo o planejamento, ou não.

Mas, além disso, o rastreamento pode ser uma ferramenta de segurança para o próprio motorista. Afinal, ele permitirá o acompanhamento em tempo real do trajeto. Inclusive, alguns clientes já pedem tal recurso, que também ajuda a contornar possíveis acidentes na via.

Cumpra a legislação sempre

Você pode achar que nem é necessário falar disso, mas sempre vale lembrar. Até porque as leis sempre mudam e, com estradas muitas vezes sem fiscalização, a sensação é de que a legislação não é cumprida, não é?

Contudo, jogar com o acaso não é uma boa ideia, ainda mais quando se tem um cliente esperando. Por isso, conheça e respeite os limites de peso e dimensões, e saiba seus direitos e deveres com a “lei da balança” antes de colocar a carga para frete.

Por fim, é importante destacar: nunca aposte em drogas e medicamentos proibidos! Não arrisque vidas em vão. Planeje e escolha bem a rota para jamais adquirir esse tipo de hábito. As regras de trânsito têm suas justificativas, então, cumpra-as mesmo quando sozinho. E tenha a CNH em dia, sempre.

Bom, sabemos que não é possível escolher a melhor rota sempre. Afinal, cada serviço vai pedir a você um tipo diferente. E, com o tempo, elas podem ficar melhores ou piores, já que se tornam mais disputadas, tendo seu tráfego aumentado ou diminuído, e passando a ser mais ou menos visadas por criminosos. Por isso, manter-se atualizado é essencial!

E aí, gostou do post? Sobrou alguma dúvida ou tem outra dica para acrescentar? Deixe o seu comentário e compartilhe sua experiência conosco!

Posts relacionados

Deixe um comentário