Saber como calcular o preço do frete da maneira adequada é importante para conseguir um retorno satisfatório na prestação do serviço. Para fazer isso, é preciso lembrar de todos os aspectos que envolvem a formação do preço e ainda incluir a margem de lucro que você deseja alcançar.

Neste post, vamos listar esses pontos, explicar como o cálculo pode ser feito e por que ele é tão importante.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura e confira agora mesmo!

Quais fatores devem ser levados em consideração?

Existem diversas questões que precisam ser consideradas na hora de calcular preço de frete, e elas vão muito além da distância. Entre as principais, podemos citar os abaixo.

1. Características da carga

Entram para análise as características das mercadorias transportadas, como:

  • valor agregado (se os produtos são caros);
  • o tamanho e o peso da carga;
  • condições especiais dos itens (como no caso de materiais frágeis).

Esses pontos podem ser usados para saber se o valor cobrado será maior ou menor, já que alguns deles requerem mais cuidado na hora de fazer o transporte.

2. Distância entre o local de origem e o destino

Esse é um dos fatores mais comuns e utilizados na hora de definir o preço do frete. Em muitos casos, é chamado de “valor do quilômetro rodado”.

Vale lembrar que, quanto maior for a distância, maior será o custo do frete — principalmente em decorrência do gasto que se tem com combustível.

3. Tamanho do veículo

O tamanho do seu caminhão também é um ponto a considerar, já que veículos maiores têm valor de frete maior, enquanto os menores costumam cobrar menos. O que se dá, em grande parte dos casos, pela capacidade de itens que podem ser levados por viagem.

Mas também é preciso lembrar que veículos maiores têm custo de manutenção mais alto e impostos mais caros. Portanto, o valor para manter um caminhão é proporcional ao seu tamanho. Assim, isso acaba se refletindo no valor do frete.

4. Custos fixos e variáveis

Seu veículo gera custos para se manter funcionando em bom estado de conservação. Isso significa que é preciso gastar com manutenção, pneus, reposição de peças e acessórios, troca de óleo, entre outros.

Também vale lembrar o investimento que é preciso fazer com seguros. Eles são importantes, tanto para os veículos quanto para as cargas. Apesar de gerar um valor a pagar a mais mensalmente, o seguro é uma forma de garantir os bens e evitar prejuízos maiores, caso haja qualquer dano.

Todos esses custos precisam ser considerados na hora de calcular o preço de frete dos seus serviços, já que eles estão diretamente ligados ao trabalho que é realizado.

5. Taxas e impostos

Existem algumas taxas que também precisam ser cobradas, já que elas estão ligadas ao gasto que se tem para realizar o transporte de mercadorias. Listamos algumas bem frequentes. Veja a seguir.

Pedágios

São taxas cobradas dependendo do percurso coberto para a distribuição dos itens. É preciso avaliar quantas praças de pedágio existem no caminho que será feito até o local de destino e incluir o valor total no preço do frete.

ICMS

É o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, que sempre será incluído no frete. Os percentuais cobrados, de acordo com o valor da nota fiscal, variam de estado para estado.

Existem outras taxas que estão relacionadas aos aspectos operacionais. Em alguns casos, existe a cobrança conforme:

  • a dificuldade na entrega: depende do local onde a carga será entregue e da complexidade que se tem para chegar até lá;
  • a reentrega: quando o cliente não recebe a carga na primeira tentativa e é necessário fazer um reenvio;
  • a diária: essa cobrança ocorre quando o cliente retém o veículo por determinado tempo, fazendo com que fique ocioso enquanto aguarda a descarga. Em alguns casos, ela pode ser feita a partir de seis horas de retenção, mas deve ser negociada; e o cliente, avisado.

6. Margem de lucro

A margem de lucro é um percentual acrescido ao valor de frete que será cobrado. Ela é importante para garantir que você tenha ganhos ao realizar o serviço, em vez de receber somente o suficiente para cobrir os gastos que teve fazendo o trabalho.

7. Prazos diferenciados

Alguns tipos de produtos exigem entrega mais rápida. Em outros casos, o próprio cliente quer urgência por motivos particulares. Em todo caso, prazos mais apertados pedem fretes mais caros. Mantenha uma escala percentual de acréscimo já preparada para essas situações.

Como calcular o preço do frete corretamente?

Primeiramente, é preciso lembrar da importância de identificar todos os custos envolvidos no serviço de transporte, como os que já foram citados. Isso é fundamental para conseguir formar um preço justo, tanto para você quanto para os seus clientes.

Quando se trata dos custos fixos (como o seguro, por exemplo), você deve dividir a média dos valores gastos pela média de quantidade de serviços que são prestados. Com essa divisão feita, fica mais fácil distribuir esses gastos igualmente entre as contratações.

Já no caso dos custos variáveis, como acontece com o combustível, a cobrança é feita de acordo com cada transporte. A partir daí, o caminho é somar todos os valores e a margem de lucro que você deseja obter com o serviço — o que é muito importante, já que é dela que vem a sua receita, sendo o restante constituído somente de gastos.

Quais controles são necessários para ajudar no cálculo?

É muito aconselhável que você tenha algumas informações anotadas para ajudar a calcular o valor dos seus fretes. Por exemplo:

  • parcela mensal do seguro do veículo;
  • valores dos últimos abastecimentos (preço por litro);
  • quilômetros rodados (para calcular o Km/L médio);
  • gastos com manutenção do caminhão etc.

Tudo que for relacionado ao seu trabalho deve estar anotado com valores e datas, para que você tenha uma média de gastos por mês. Se for um caminhoneiro registrado como MEI, não esqueça de incluir o valor do seu DASN mensal. Caso não seja, deixe para incluir os impostos na parte de custos variáveis a seguir.

Para aplicar a cada viagem, você pode pensar: quantas viagens faço no mês? E por dia? Então, divida o valor total dos custos mensais pelo número de dias que você passa viajando mensalmente. Se são 20 dias, então divida por vinte. O valor que você vai encontrar é um custo diário por viagem. Se um frete dura três dias de viagem, você vai calcular o equivalente a esse período.

Dando continuidade, cada viagem tem um custo, certo? Aqueles dos quais também falamos, que são a quilometragem, embalagem da carga, controle de temperatura do veículo, pedágio, possíveis diárias, frete de retorno etc. Faça a relação desses custos na hora que for calcular o frete. Lembre-se, tudo com valor de custo! Isso deve ser somado ao primeiro cálculo que você fez (relativo à cobertura das suas despesas mensais).

Em seguida, acrescente seu lucro. Quanto você deseja obter de lucro sobre os custos encontrados? Fique atento a essa conta! Se quer uma margem de lucro de 30%, considere que o valor dos custos que encontrou corresponderá a 70% (100% – 30%) do valor total do frete. Então a conta será a seguinte:

VALOR DO FRETE = CUSTO x 100% / 70%

É importante calcular dessa forma, porque seu lucro vai ser calculado em cima do valor final do frete, e não do valor dos custos.

Existe um valor mínimo de frete para seguir?

Sim, quem trabalha com transporte rodoviário de carga precisa estar atento à publicação e atualização da tabela com o piso dos valores de frete, mantida pela Agência Nacional do Transporte Terrestre (ANTT), que inclui também um piso para as diárias do caminhoneiro.

Na tabela, estão incluídos os valores por tipo de carga, diferenciando inclusive os tempos de carga e descarga.

Essa tabela é muito interessante pois ela ajuda o caminhoneiro a pensar em aspectos que ele poderia inclusive não lembrar ao estabelecer os seus critérios para o cálculo do frete. Por exemplo, o frete de retorno, para casos de operações em que é proibido trazer cargas no percurso de volta, como é a situação do caminhão que transporta combustível.

Mas, mesmo usando os cálculos que sugerimos e a tabela de frete, converse com colegas de profissão da sua região e faça um comparativo de valores. Como dissemos, o ideal é não estar muito acima para não perder clientes, nem muito abaixo para não desvalorizar o seu trabalho!

Quais aplicativos podem ajudar no cálculo do frete?

Quem não tem muito jeito para fazer planilhas ou tabelas pode contar com a ajuda da tecnologia. Existem alguns aplicativos muito úteis para ajudar o motorista a calcular o valor do frete. Quer algumas dicas? Confira!

Frete Autônomo de Cargas

Esse aplicativo para Android se baseia na distância, consumo de combustível por quilômetro, preço do combustível e peso da carga. Não é muito, mas você já pode ter uma ideia inicial para começar a calcular.

Calculadora de Frete ANTT

Muito útil, pois se baseia na Tabela ANTT para cálculo do frete e traz os mesmos parâmetros para ajudar você a calcular o seu frete mínimo. É atualizada com as últimas resoluções e, o melhor, sem anúncios! Pode ser baixado para Android.

Frete Mínimo

Também se baseia na Tabela ANTT e é um dos mais bem avaliados da Play Store. As telas são muito intuitivas: nelas, você informa destino e origem ou quilômetros a rodar, tipo de carga, quantidade de eixos e ele informa o valor mínimo a cobrar.

Qual é a importância de calcular preço de frete adequadamente?

O cálculo correto do valor do frete é essencial para que você consiga cobrir todos os seus gastos operacionais e ainda obter lucro, o que, no fim do mês, se torna o seu salário.

Se a cobrança está abaixo do ideal, você corre o risco de sofrer com prejuízos, já que existe a chance de perder o seu lucro ou até mesmo não conseguir arcar com todos os custos gerados. por outro lado, cobrar um valor bem acima da média praticada no mercado aumenta o risco de perder os clientes e deixar de receber pelo serviço.

Por isso, realmente é preciso saber como calcular o preço do frete corretamente, já que ele pode afetar os seus ganhos ou fazer com que você perca a oportunidade de realizar mais serviços. Sendo assim, antes de passar um valor para os seus clientes, vale a pena planejar todos os gastos e o seu rendimento após concluir o trabalho.

Gostou desse conteúdo? Curta nossa página no Facebook e acompanhe os nossos posts com novas dicas!