TIA NEIVA, A PRIMEIRA CAMINHONEIRA DO BRASIL

2 minutos para ler

Mesmo no mundo de hoje, onde mulheres dominam um grande espaço em quase todas as profissões, ser caminhoneira ainda carrega um peso machista. Segundo dados da Confederação Nacional do Transporte (CNT), em 2020 as mulheres eram apenas 0,5% do total de caminhoneiros do país, mas o número de habilitadas é muito maior.

Não é de hoje que as mulheres romperam a barreira do preconceito e pegaram estrada. Sabe quem foi a primeira caminhoneira do Brasil?

O nome dela é Neiva Chaves Zelaya, sergipana, nascida em outubro de 1925, na cidade de Propriá. Tia Neiva, como carinhosamente chamada, se casou com 18 anos e teve 4 filhos, mas ficou viúva apenas 4 anos depois de se casar. Para conseguir sustentar seus filhos, Neiva abriu uma loja de artigos fotográficos, e logo depois, comprou seu primeiro caminhão, estando pronta para fazer entregas pelo Brasil junto de seus filhos.

Na mesma época Neiva atuou como motorista nas empreiteiras da construção de Brasília, onde trabalhava cerca de 14 horas diárias, e foi lá que conseguiu o título de primeira caminhoneira do Brasil. Lá, ela trabalhou por 3 anos e registros da época confirmam que ela era a única mulher presente entre todos os motoristas.

Tia Neiva morreu em 1985, e deixou um legado de força e coragem ao adentrar um mercado tomado totalmente por homens. Até hoje é referência para mulheres que rodam o Brasil na cabine do caminhão.

Você conhecia a história da primeira caminhoneira do Brasil? Deixe aqui sua opinião sobre sua coragem! Se quiser conferir mais posts como esse, siga a Proteauto no Instagram e Facebook.

Posts relacionados

Deixe um comentário