Com o orçamento cada vez mais apertado, o caminhoneiro deve se acostumar a fazer diversas contas. É o preço do diesel, a manutenção, o IPVA, o seguro do caminhão, o tempo de entrega cada vez mais apertado… Enfim, os números estão sempre na sua cabeça. Como se não bastasse, existe outra conta para fazer: a depreciação do caminhão.

Esse é um assunto importante para quem trabalha com transporte, mas que poucos têm conhecimento. Afinal, é a depreciação do caminhão que determina o quanto valerá o seu veículo após alguns anos de uso. 

Quem possui qualquer tipo de veículo sabe que, com o tempo, ele perde valor. Para tirar a prova disso, basta ver o preço de tabela de um modelo de caminhão com anos de fabricação diferentes e perceberá que o mais novo tem valor mais alto.

Porém, o que pouca gente sabe é que o valor de tabela é uma média de preço pedido por quem está vendendo o veículo. Assim, existem pessoas que pedem valor acima da tabela e outras que vendem abaixo.

O que você aprenderá aqui é como conseguir que a depreciação do caminhão seja menor, conseguindo vendê-lo no futuro por um valor acima da tabela. Isso será decisivo para trocar por outro modelo mais novo com mais facilidade. Então, vamos em frente?

Faça manutenção preventiva

Para evitar a depreciação do caminhão, você deve caprichar na manutenção preventiva. Porém, você sabe o que significa esse termo? Manutenção preventiva é quando o proprietário do veículo toma os devidos cuidados para evitar que ocorram problemas mecânicos.

A vantagem está no custo, pois é muito mais barato manter tudo em ordem do que consertar defeitos. Dessa maneira, você consegue reduzir os custos de manutenção do caminhão, o que acaba valorizando o veículo. Portanto, aprenda agora a fazer a manutenção preventiva.

Verifique o óleo do motor e filtros

A troca de óleo do motor deve ser feita em conformidade ao que é indicado pelo fabricante, tanto em relação à quilometragem e prazo, como as especificações do lubrificante. Além disso, sempre troque também o filtro. É um pequeno custo a mais, mas vale a pena. Lembre-se de que o filtro contém óleo antigo em seu interior, que contaminará o novo.

Além da atenção às trocas, fique atento também ao nível do óleo. Adote o hábito de fazer essa verificação semanalmente e também quando notar manchas escuras no chão do local onde o caminhão ficou estacionado. Jamais transite com pouco lubrificante no motor.

Confira os freios

Antes de sair de viagem, sempre confira os freios do caminhão. Verifique a drenagem de água entre os balões de ar e também o estado das lonas. Caso identifique que os componentes estão perto do fim da vida útil, providencie a troca para evitar problemas de frenagem e acidentes, o que aumentaria a depreciação do caminhão.

Fique atento à suspenção

Um dos sistemas mecânicos que o caminhoneiro deve ficar sempre atento é a suspensão, pois ela causa problemas com efeito dominó. Ou seja, um defeito no feixe de molas pode danificar pneus, rodas, eixo e muitos outros componentes. Isso só faz o caminhão desvalorizar.

Verifique os fluidos

Além do óleo do motor, o caminhão possui diversos outros fluidos que devem ser inspecionados semanalmente. O motivo é que esses fluidos são responsáveis pelo bom funcionamento de diversos componentes. Portanto, fique de olho nos seguintes níveis:

  • líquido de arrefecimento;
  • óleo da embreagem;
  • óleo da direção hidráulica;
  • fluido de freio;
  • água do radiador.

Inspecione os pneus

Além do diesel, um dos gastos de quem trabalha com transporte está nos pneus. Portanto, fique atento a eles para que consiga economizar e diminuir a depreciação do caminhão.

Dessa maneira, habitue-se a inspecionar o estado dos pneus quando for pegar estrada. Procure por bolhas, cortes e rachaduras e fique atento à profundidade dos sulcos da banda de rodagem.

Confira as paletas do limpador de para-brisas

Além de garantir mais segurança ao rodar embaixo de chuva, manter as paletas novas não danifica o para-brisa do caminhão, ajudando a elevar o seu valor de mercado. Para completar, cuide para que o reservatório do lavador esteja sempre cheio.

Porém, jamais coloque água com detergente, pois o seu uso poderá manchar a pintura. O ideal é apenas água ou líquidos apropriados, que limpam sem causar estragos ao veículo.

Tenha cuidado com as luzes do painel

Não ignore uma luz acesa no painel do caminhão. Os veículos atuais são repletos de sensores que conseguem detectar problemas e avisar o motorista por meio dessas luzes no painel. Portanto, caso alguma acenda, principalmente amarelas e vermelhas, pare o caminhão e chame a assistência.

Faças as revisões conforme indicação do fabricante

Para as verificações mais complexas, como na injeção eletrônica, embreagem, motor e câmbio, o ideal é levar o caminhão para realizar as revisões. Com ferramentas apropriadas e conhecimento técnico, os mecânicos são capazes de recomendar a manutenção em caminhões e realizá-la adequadamente.

Caso seja feita na autorizada, ainda terá o manual carimbado. Isso será decisivo para manter baixa a depreciação do caminhão.

Cuide dos pneus do caminhão

Se tem algo que valoriza muito um veículo, é o estado de conservação dos pneus. No caso dos caminhões,nem se fala! Por serem em maior número e de alto custo, os pneus fazem grande diferença na depreciação do caminhão. Por isso, cuide bem deles.

Abaixo, listamos algumas dicas: 

Verifique a calibragem

Rodar com os pneus com baixa pressão aumenta o desgaste da borracha, principalmente nas áreas externas da banda de rodagem. Além disso, aumenta o consumo de diesel. Por outro lado, o excesso de pressão também não é bom, pois acentua o desgaste na parte central do pneu e força a suspensão.

Assim, verifique a pressão recomendada pelo fabricante de acordo com o peso transportado e calibre pelo menos 1 vez por semana. Outro detalhe: não confie na marreta, use um calibrador automático, que todo posto de combustível tem, pois é muito mais preciso.

Efetue rodízio de pneus

Muitos caminhoneiros não têm esse hábito, pois realmente dá trabalho para rodiziar tantos pneus. Porém, o benefício que isso traz na durabilidade vale o esforço. Normalmente, a indicação dos fabricantes é de realizar o rodízio a cada 10 mil quilômetros, mas é bom conferir o manual, pois há vários tipos de pneus para caminhão.

Outra informação importante é que os pneus devem permanecer do mesmo lado do caminhão, mudando apenas o eixo no qual estará instalado. Além disso, tenha cuidado para não colocar pneus reformados no eixo dianteiro, o que é proibido. O ideal é levar o caminhão a um centro especializado para fazer o serviço.

Dirija suavemente

Ao adotar uma condução mais suave, você diminui a possibilidade de derrapagem dos pneus no asfalto, o que aumenta a sua durabilidade. Evite freadas bruscas e curvas em alta velocidade. Tente visualizar o que acontece ao longo da pista e tome as atitudes necessárias com antecedência, como as frenagens por conta de trânsito parado.

Além de diminuir o desgaste dos pneus e, consequentemente, a depreciação do caminhão, também aumenta a segurança ao dirigir.

Mantenha os pneus alinhados e balanceados

Pneus desalinhados ou desbalanceados sofrem desgaste muito mais rápido. Além disso, forçam outros componentes da suspensão e direção, podendo aumentar os prejuízos. Portanto, ao realizar o rodízio, aproveite e faça também o alinhamento e o balanceamento.

Por outro lado, caso perceba a direção vibrando ou puxando para um dos lados, é sinal para não esperar a quilometragem e efetuar o serviço antes. Isso é resultado das estradas brasileiras em estado de conservação lastimável.

Acompanhe a profundidade dos sulcos

Ao calibrar os pneus, aproveite para verificar se a profundidade dos sulcos da banda de rodagem está dentro das normas de segurança. Veja o que determina a Resolução 558/80 do Contran, em seu art. 4º:

Art. 4º – Fica proibida a circulação de veículo automotor equipado com pneu cujo desgaste da banda de rodagem tenha atingido os indicadores ou cuja profundidade remanescente da banda de rodagem seja inferior a 1,6 mm. 

Como seria muito difícil medir isso, os pneus vêm com uma marca chamada TWI dentro do sulco. O TWI é o indicador citado na resolução, e deve estar mais fundo do que a parte de borracha que toca o solo. Caso esteja no mesmo nível, chegou a hora de substituir o pneu. Aproveite para verificar também o estado das válvulas de ar, para que o pneu não perca pressão.

Use o combustível correto

Além de ser motivo de grande preocupação entre os caminhoneiros por conta do impacto do seu custo, o motorista precisa tomar uma série de cuidados ao abastecer.

Isso porque, além do preço, existem outros problemas, como adulterações, baixa qualidade no combustível para caminhões e variações nos tipos de diesel. Assim, veja as dicas e não erre mais.

Saiba a diferença entre diesel S-10 e S-500

A principal diferença entre o diesel S-10 e o S-500 é a quantidade de enxofre, que é consideravelmente menor no S-10. Isso faz com que o veículo abastecido com diesel S-10 seja menos poluente. Além do mais, O S-10 possui uma adição de 8% de biodiesel e nível mais alto de cetano, o que faz a queima do combustível mais eficiente.

Como o governo brasileiro deseja substituir gradualmente a demanda do S-500 pelo S-10, ficou estabelecido que os veículos a diesel fabricados a partir de 2012 fossem ajustados eletronicamente para receberem apenas o diesel S-10. Portanto, se o seu veículo é 2012 ou mais novo, jamais abasteça com diesel S-500, pois poderá danificar o seu motor.

Já quem possui veículo mais antigo poderá desfrutar dos benefícios do diesel S-10, mas isso demanda uma série de cuidados. É preciso esvaziar o tanque, trocar o filtro de combustível e limpar todas as peças que entram em contato com o combustível, pois os dois tipos de diesel não podem se misturar. Além do mais, diminuirá a depreciação do caminhão.

Fique atento ao aspecto do posto

Repare na aparência do posto de combustível que deseja abastecer. Estabelecimentos mal cuidados indicam que os proprietários não estão muito preocupados com a empresa. Se não há preocupação com o que é visto, imagine com a qualidade dos combustíveis, que ficam nos tanques, longe do alcance dos olhos.

Confira a bandeira da placa e da bomba

Muita gente prefere abastecer em postos de bandeiras consagradas, pois imagina que a fiscalização na qualidade do combustível é maior. Essas pessoas não estão erradas. Realmente, os postos que fazem parte de grandes redes distribuidoras precisam atender a uma série de requisitos para continuar recebendo produtos da marca.

O problema está quando um posto deixa de fazer parte de determinada bandeira, mas não retira a sua caracterização, levando os motoristas a acreditarem que estão abastecendo em um posto de rede. Para não cair nessa armadilha, verifique se o nome do distribuidor que consta na bomba de combustível é o mesmo da rede que está no letreiro do posto.

Desconfie dos preços baixos

O valor que os donos de postos de combustíveis pagam pelas mercadorias é praticamente o mesmo. Alguns conseguem descontos por conta do volume comprado, mas a diferença é pequena. Além disso, a margem de lucro sobre combustíveis é baixa. Para lucrar, os postos precisam ganhar no volume.

Diante dessa situação, um dono de posto de combustível possui uma margem de poucos centavos para baixar e tentar ganhar em preço dos seus concorrentes. Sendo assim, desconfie dos preços de diesel muito baixos. Provavelmente são combustíveis adulterados ou de origem duvidosa. Abastecer nesse posto é pedir para aumentar a depreciação do caminhão.

Guarde as notas fiscais

Essa dica não vale apenas para os gastos com combustíveis, mas com tudo relacionado ao caminhão. Guarde todos os cupons e notas fiscais e acompanhe os gastos mensais. Essa é uma forma simples de fazer um controle financeiro. Com ele, é possível saber quanto está realmente ganhando com o caminhão e identificar aumento de despesas, que indicam problemas no veículo.

Além disso, caso venha a ter problemas mecânicos por conta da qualidade do combustível, guardando os documentos poderá acionar o posto na justiça, pois poderá provar que abasteceu lá.

Evite o excesso de carga

Muitos caminhoneiros tentam justificar o excesso de peso em caminhões explicando que lucrará mais, pois o frete é mais alto e fará apenas uma viagem levando mais itens. Será que isso é verdade? Veja o que acontece com o seu veículo ao transportar mais do que o permitido e imagine como fica a depreciação do caminhão:

Aumenta os gastos com manutenção

Todo veículo é projetado por uma grande equipe de profissionais. Entre eles estão engenheiros mecânicos que realizam diversos cálculos e testes para estabelecer o máximo que tal veículo poderá transportar em segurança, sem sofrer danos. Ao exigir mais do que o caminhão suporta, os defeitos começarão a aparecer.

E eles virão de toda a parte, pois essa atitude sobrecarrega os freios, a suspensão, o motor, a transmissão, o chassi e os eixos. Com isso, serão necessárias mais paradas para manutenção. O resultado é mais gastos e o caminhão parado e desvalorizado.

Diminui o desempenho do caminhão

Rodar com excesso de peso impacta drasticamente o desempenho do caminhão. Ele ficará muito mais lento para arrancar e frear. Além de ficar muito mais perigoso contornar curvas mais fechadas.

Para completar, aumenta o risco de tombamento e o consumo de combustível do caminhão, pois o esforço do motor é muito maior. E mais um detalhe: o risco de acidentes por conta do excesso de carga é tão grande, que as seguradoras não cobrem os danos causados em colisões, caso seja identificado que o veículo estava transportando mais do que deveria.

O resultado disso será um veículo surrado e que terá baixo valor de revenda. Ou seja, é sinônimo de alta depreciação do caminhão.

Tenha boas práticas de direção

Agora você já está convicto de que precisa tomar diversos cuidados para diminuir a depreciação do caminhão. Mas, até então, não foi falado nada sobre o impacto que a maneira de dirigir exerce sobre o estado de conservação do caminhão e, por consequência, no seu valor de mercado.

Sendo assim, descubra agora algumas dicas para dirigir de maneira eficiente. Além de evitar sobrecargas no caminhão, também diminui o consumo de diesel e o desgaste de peças.

Acelere com suavidade

Os caminhões mais modernos possuem uma infinidade de sensores para ajustar a injeção eletrônica para a maneira ideal, conforme a situação. Os modelos com câmbio automático também fazem seus ajustes, engatando a marcha que considera correta de acordo com a aceleração, peso e inclinação.

Caso acelere bruscamente, a eletrônica do caminhão vai interpretar como situação de emergência e despejará toda a potência do motor para arrancar. No caso do câmbio automático, as marchas mais pesadas serão selecionadas. Isso fará o consumo e o desgaste do caminhão aumentar consideravelmente.

Evite freadas bruscas

Se é importante acelerar com suavidade, o mesmo vale para frear. Nesse caso, porém, não tem relação com sensores, mas com o desgaste dos pneus e do sistema de freios. Além disso, pode gerar uma economia de diesel. Para isso, é importante manter o caminhão engatado, ou seja, não usar a banguela.

Portanto, ao visualizar algo que o forçará a frear, como trânsito ou sinal vermelho, experimente acionar o freio com antecedência e de maneira bem suave. A sobrecarga será muito menor.

Saiba usar as marchas corretamente

Além da expressiva economia de diesel, ao usar as marchas de maneira mais eficiente, você diminui o esforço do conjunto motriz, resultando em menos manutenção e menor depreciação do caminhão.

Para conduzir da forma mais eficiente, procure utilizar as marchas mais altas que puder, de acordo com a inclinação e o peso carregado. Deixe as marchas mais baixas apenas para arrancadas e subidas íngremes. O ideal é manter a rotação do motor bem baixa.

Respeite os limites de velocidade

Por causa dos prazos de entrega apertados ou da saudade de casa, é comum ver caminhoneiros abusando da velocidade nas estradas. Porém, contenha a ansiedade de chegar logo ao destino e procure dirigir dentro dos limites de velocidade estabelecidos.

Todo mundo sabe que essa atitude evita multas e diminui o risco de acidentes. Porém, indo mais além, podemos perceber que também contribui para minimizar a depreciação do caminhão. O motivo para isso é que terá mais chances de possuir um veículo original, jamais envolvido em colisões.

Para completar, adotar práticas de direção defensiva como essa diminui o desgaste de pneus, freios e suspensão, além de economizar diesel.

Seja cauteloso

Ao chegar aqui, você deve ter percebido que, para conseguir uma baixa depreciação do caminhão, é preciso ser cauteloso. Seja com a manutenção preventiva ou com o cuidado com os pneus, com a escolha do combustível correto e ainda ao evitar excesso de carga. Além disso, é preciso dirigir suavemente.

Faltou um último item que completa os cuidados que deve ter ao manter o seu caminhão em ordem. É preciso contar com uma assistência em caso de imprevistos, como panes e acidentes. Isso evita que o veículo seja forçado a rodar, mesmo apresentando problemas mecânicos, para chegar ao destino.

Sendo assim, ao menor sinal de problema no caminhão ou no caso de colisões, pare o veículo em local seguro e acione a assistência. Agindo assim, você consegue evitar que o problema aumente. Portanto, contar com uma proteção veicular é uma ideia bem interessante para diminuir a depreciação do caminhão.

Percebeu que não é difícil manter o seu caminhão valorizado no mercado? Com pequenos cuidados na manutenção e na condução do veículo, além do apoio de empresas sérias, como oficinas, autopeças e de proteção veicular, a depreciação do caminhão será mínima.

Vale reforçar a importância dessas atitudes, pois o caminhão é a sua ferramenta de trabalho. Por conta disso, precisa ser mantida com zelo e substituída quando o custo de sua manutenção começa a ficar alto ou ainda desatualizada em relação a uma nova.

Para auxiliar na proteção e na redução da depreciação do caminhão, conte com a Proteauto Brasil, uma Associação de Proteção Veicular Colaborativa sem fins lucrativos com o objetivo de reunir pessoas idôneas e comprometidas em proteger-se mutuamente dos eventuais prejuízos inesperados advindos de sinistros em seu caminhão, como acidente, colisão, incêndio, roubo ou furto.

Para completar, os associados contam com assistência 24 horas com guincho, rastreador, descontos em pneu, combustível entre outros benefícios. Não perca mais tempo e entre em contato agora com a Proteauto e conheça os detalhes dos serviços.