Mecânica de caminhão: 9 mitos que todo caminhoneiro precisa saber

9 minutos para ler

Ainda hoje, existem muitos conceitos errados quando o assunto é mecânica de caminhão. Alguns hábitos na direção acabam se tornando mitos de tanto serem repetidos e repassados de um caminhoneiro para o outro.

Alguns costumes não possuem qualquer justificativa. Outros não só estão errados, como prejudicam o desempenho do seu caminhão e colocam a sua segurança em risco. No post de hoje vamos desvendar 9 desses mitos. Confira:

1. Tirar a válvula termostática evita problemas no motor?

A válvula termostática é uma peça que fica no motor do caminhão. Ela serve para regular a circulação do líquido de arrefecimento entre o motor e o sistema do radiador.

Com o motor frio, a válvula fica fechada, fazendo com que o líquido circule apenas no motor — assim, ele aquece mais rápido. Quando o motor atinge determinada temperatura, a válvula se abre e permite que o líquido seja conduzido para o radiador, realizando o resfriamento. Quando o motor esfriar, a válvula fecha de novo.

Realmente, as válvulas termostáticas dos caminhões antigos davam problemas frequentemente. Por isso, muitos caminhoneiros ainda têm o costume de tirar a peça, para evitar que esses maus funcionamentos ocorram.

Porém, essas peças foram melhoradas com o passar do tempo e, hoje em dia, raramente as válvulas termostáticas apresentam defeitos. Sem elas, não há qualquer controle sobre a circulação do líquido de arrefecimento que circula entre motor e o sistema do radiador.

Quando você tira a válvula termostática, está dificultando o arrefecimento que é necessário para que o motor trabalhe na temperatura ideal. Ou seja, torna-se mais demorado o aquecimento do motor, ao mesmo tempo em que é mais provável que ele se superaqueça e estrague rapidamente, pois não possui o seu controlador de temperatura.

2. Ligar o motor por 15 minutos, para aquecer, é necessário?

Com o advento da injeção eletrônica e dos óleos lubrificantes mais viscosos, o motor dos caminhões modernos se aquecem enquanto estão em uso. A única razão para que se mantenha o veículo ligado antes de sair é a de encher de ar o sistema de freios.

O óleo mais viscoso é mais eficiente porque suporta trabalhar tanto com o motor frio quanto quente. Sendo assim, a lubrificação e a mistura de óleo e combustível são feitas da forma adequada em qualquer temperatura.

Quando você está rodando com o seu caminhão, não só está aquecendo o motor, como também os eixos traseiros, a caixa de marchas, os freios, a embreagem e os rolamentos. Nada disso é aquecido quando o seu caminhão fica parado por 15 minutos, só com o motor girando.

Outro problema que pode ser causado por esse hábito é você achar que o veículo já está adequadamente aquecido e partir dirigindo em altas rotações. Dessa forma, você força o funcionamento de algumas peças.

3. Utilizar o freio motor provoca maior desgaste das peças?

Muitos caminhoneiros acreditam que o uso do freio motor superaquece o motor, dificulta a absorção de óleo do cárter, causa problemas no escapamento, dentre outros problemas.

Além disso não acontecer, o freio motor é muito útil — sobretudo para veículos pesados, como os caminhões. Ele dá maior estabilidade para o seu veículo, principalmente em aclives e declives mais acentuados. Com o seu caminhão mais estável, o risco de acidentes é menor.

Quando você usa o freio motor, está usando menos o freio de serviço. Dessa forma, há menor desgaste das lonas e tambores de freios. Essas peças podem se superaquecer e até pararem de funcionar, se forem forçadas demais.

4. Andar em ponto morto economiza combustível?

Ao usar a famosa “banguela”, a injeção eletrônica do seu caminhão entende que o motor está em uma marcha mais baixa, liberando ainda mais combustível para o motor. Ou seja, você não só não está economizando combustível, como está gastando ainda mais.

Apesar disso, a injeção eletrônica é um sistema inteligente, que interrompe a liberação do diesel quando você está usando o freio motor e não está acelerando. Ela entende que, nas descidas, o próprio peso do seu caminhão vai mantê-lo em movimento.

Assim como foi dito sobre o mito do uso do freio motor, ao descer de ponto morto, você arrisca a sua segurança por causa da instabilidade causada pelo caminhão desengrenado, e novamente o sistema de freios fica sobrecarregado quando precisar ser utilizado.

5. Acelerar ao ligar e desligar o caminhão facilita a ignição?

Esse hábito se justificava nos caminhões antigos, que usavam carburador e tinham gasolina como combustível. Nesses veículos, era necessário pisar no pedal do acelerador para deixar o carburador cheio de gasolina.

Existe ainda quem pensa que isso ajuda na lubrificação do motor. O que acontece, na verdade, é um gasto desnecessário de combustível, além de um prejuízo para o motor e as turbinas.

Quando você dá essas “bombadinhas” no acelerador, tanto o motor quanto as turbinas giram sem a lubrificação adequada. Isso porque é necessário um tempo para que o óleo circule adequadamente nas duas peças.

6. Borrifar óleo no chassi evita corrosão?

Existem caminhoneiros que, depois de lavarem o caminhão, passar óleo no chassi, para prevenir as corrosões. Esse mito fez com que o uso de substâncias totalmente inúteis — como o óleo de mamona — se tornar tão popular.

Como o óleo é grudento, o que acontece é o acúmulo de todo tipo de sujeira, como poeira, pedrinhas e minério das estradas. Além disso, o óleo resseca as mangueiras e as vedações de borracha do seu caminhão. O indicado, nesse caso, é que você mantenha o seu caminhão constantemente limpo. Utilize apenas produtos neutros, que são apropriados e possuem função anticorrosiva.

7. Usar aditivos no radiador é inútil?

Os aditivos aumentam a vida útil das peças do motor e do sistema de arrefecimento do seu caminhão. Eles protegem as partes internas do motor contra o desgaste precoce, causado pelas corrosões e ferrugens.

Além disso, eles alteram as propriedades da água, aumentando o intervalo entre o congelamento e a fervura do líquido de arrefecimento. Isso evita que o motor se superaqueça em épocas mais quentes ou congele em climas rigorosamente frios. Utilizar aditivos no radiador é uma boa dica para preservar o motor do seu caminhão.

8. A manutenção pode ser feita por qualquer mecânico?

Mais do que que um mito, podemos considerar que fazer a manutenção do jeito que for possível já é um verdadeiro hábito se você é um caminhoneiro, não é verdade? Afinal, a vida na estrada não é fácil e muita gente aprendeu a dirigir dessa maneira, o que torna difícil mudar posturas depois de anos ou até mesmo décadas de direção. No entanto, isso não faz com que deixe de ser um erro.

Embora os ajustes e consertos dos veículos pesados possam, em certos pontos, ser similares aos de passeio, existem diversos aspectos que se diferenciam e não podem ser menosprezados. Buscar por mecânicos especializados é crucial, pois é o seu instrumento de trabalho, que é exposto a cargas elevadíssimas e demanda certos equipamentos para um serviço de boa qualidade.

9. Calibrar os pneus só quando estiverem frios é indispensável?

Outro dos hábitos herdados de anos na estrada consiste em só fazer a calibragem dos pneus quando eles estiverem frios. No entanto, ao contrário de muitos dos outros itens da lista, isso realmente é recomendável. Para um melhor resultado, fabricantes indicam que a borracha esteja em temperatura padrão, que oscila entre 20°C e 22°Celsius.

Como vivemos em um país predominantemente tropical, isso pode ser ainda mais desafiador, sobretudo depois de muitos quilômetros na abrasão do asfalto das estradas. O aquecimento aquece e eleva a pressão interna, podendo ocasionar erros. Se você não tomar esse cuidado, poderá ser afetado com falta de estabilidade e com o desgaste precoce.

Vantagens de cuidar da mecânica de caminhões

Agora que você já conheceu um pouco melhor alguns dos mitos que todo caminhoneiro precisa saber sobre mecânica de caminhão, vamos mostrar algumas das vantagens de cuidar da mecânica do veículo, tanto por meio de cuidados pontuais quanto da manutenção preventiva. Acompanhe.

Tranquilidade na estrada

Não há dúvidas de que uma das grandes vantagens de cuidar da mecânica de caminhões é contar com mais segurança na estrada. Infelizmente, nossas rodovias ainda possuem perigos severos em termos de segurança e um veículo que circule com as melhores condições tem muito menos chances de quebras, problemas ou falhas pontuais.

Melhoria no desempenho

Outra das grandes vantagens de cuidar da mecânica de caminhões é que isso proporciona uma melhoria no desempenho do veículo como um todo. Em outras palavras, ele responderá melhor ao combustível, aos seus comandos e a tudo o que for necessário. Os sistemas funcionarão melhor em conjunto e o desgaste dos componentes será menor.

Qualidade no serviço prestado

Quem trabalha com o caminhão deve cuidar da mecânica também para melhorar a qualidade do serviço prestado, não é mesmo? Isso ocorre porque, caso a incidência de defeitos em peças seja alta, você ficará na mão e o rendimento cairá consideravelmente. Por outro lado, com uma manutenção bem feita, entregas terão mais agilidade e competitividade no mercado.

Segurança nas fiscalizações

Quem anda pelas rodovias brasileiras sabe que elas repletas de fiscalizações. Embora isso seja necessário para a segurança das vias, pode ser um fator de atraso para quem não for cuidadoso. Ao cuidar da mecânica de caminhões, você passará por isso sem problemas, não tendo o risco de ser parado rodar com componentes que estejam fora do exigido por lei.

Se você quer saber mais sobre mecânica de caminhão, leia a nossa outra postagem com os principais estilos de direção e quais são suas principais diferenças.

Posts relacionados

Deixe um comentário