Acidentes de trânsito podem tomar várias formas e acontecer a qualquer momento. Batidas, deslizes e defeitos no motor, por exemplo, nem sempre dão aviso. Porém, os riscos são bem maiores no caso de um veículo incendiado. Por mais que você ache improvável, isso pode ocorrer e ameaçar sua vida.

Felizmente, há várias formas de manter a segurança, tanto se prevenindo contra esses eventos quanto lidando com eles diretamente assim que acontecem. Se você tiver tudo em ordem, ainda pode minimizar o prejuízo resultante da perda do veículo.

Quer entender melhor o que deve ser feito? Então, continue a leitura.

Quais são as principais causas de um veículo incendiado?

Assim como os acidentes de trânsito, várias circunstâncias podem colocar fogo em seu veículo. Veja alguns exemplos aos quais você deve sempre estar atento.

Falta de manutenção

Acúmulo de sujeira e falta de vedação nos tubos de injeção, entre outros problemas de desgaste, aumentam consideravelmente os riscos de incêndio. Levar seu veículo à manutenção regularmente, fazendo todas as verificações de segurança necessárias, é fundamental para diminuir as chances de algum defeito se transformar em um grande acidente.

Pane elétrica

A eletricidade é um componente responsável por criar fogo tanto no dia a dia quanto no seu veículo. É graças à carga elétrica da vela que a ignição pode começar a funcionar. Porém, quando a rede elétrica não é bem cuidada, pode gerar faíscas que dão início ao fogo na parte interna.

Impacto causando vazamento no tanque

Durante uma batida, há uma baixa probabilidade de que o tanque do veículo seja danificado e comece a vazar. Hoje em dia, os veículos são projetados para minimizar as chances de que isso se transforme em um incêndio, mas ainda é muito importante estar atento. Sempre verifique sinais de fogo em casos de acidente.

O que fazer quando o veículo pega fogo?

Digamos que você suspeita que está com o veículo incendiado. Qual seria a melhor atitude? Em linhas gerais, tente seguir sempre os passos a seguir.

Estacione e saia imediatamente

Se o veículo ainda está em movimento e você nota sinais de fogo, sua primeira ação deve ser parar e desligar o motor. Não tente levá-lo até um local especialmente seguro se for distante, pois será difícil ter tempo para colocar tudo no lugar e sair em segurança. Lembre-se de ter o extintor de incêndio com você.

Abra o capô apenas um pouco

Quando ocorre um incêndio, especialmente na parte do motor, o melhor a ser feito é abrir o capô para que o calor saia. Porém, lembre-se de deixar apenas uma pequena abertura. Quando há muito calor acumulado, abrir o capô de uma vez pode fazer com que labaredas queimem seu rosto — portanto, faça um movimento discreto e recue imediatamente.

Jamais jogue água

Trata-se de uma dica do que não fazer em caso de veículo incendiado, mas é um erro que muitos ainda cometem. Jogar água sobre um objeto muito quente, apesar de parecer prudente, apenas piora a situação, pois o líquido evapora imediatamente e cria mais vapor. Naturalmente, isso faz o calor se espalhar mais e ainda pode queimar seu rosto.

Use o extintor para controlar pequenas chamas

Se o fogo ainda estiver baixo, pegue seu extintor de incêndio e tente minimizar as chamas antes que elas se espalhem. Em muitos casos, esse cuidado pode ser suficiente para reduzir os danos e até recuperar parte do veículo. Mas não insista muito, pois alguns incêndios não podem ser controlados apenas com o extintor.

Caso não consiga, afaste-se o máximo possível

Digamos que você tentou controlar o incêndio por algum tempo, mas as chamas não parecem diminuir. Na verdade, o calor fica mais intenso. Nesse momento, há um risco bem alto de que o fogo se espalhe pelo veículo inteiro (ou mesmo que ocorra alguma explosão). É hora de se afastar tanto quanto possível e bem rápido. Procure ficar atrás de uma parede.

Chame ajuda

Depois que você tiver certeza de que está em um local seguro, peça socorro. Pegue um telefone (ou rádio) ou fale com alguém que esteja por perto, se possível. Acionar o Corpo de Bombeiros é a primeira atitude necessária, seguida de providenciar algum transporte alternativo para você, já que o seu veículo não estará mais utilizável.

Como minimizar os danos do veículo incendiado?

Seja antes, durante ou após o incidente, você ainda pode tomar algumas atitudes para minimizar os riscos à sua vida e evitar prejuízos maiores no médio e longo prazo. Confira alguns exemplos.

Tenha um extintor sempre à mão

É lei: todo veículo precisa ter um extintor de incêndio em seu interior o tempo todo, por razões de segurança. Considerando os riscos que já mencionamos, fica fácil entender o motivo, certo?

Sendo assim, compre um extintor de qualidade e deixe-o em um local onde possa ser facilmente acessado e acionado, independentemente da situação. Se for necessário, tenha até mais de um equipamento.

Faça a manutenção necessária regularmente

Defeitos no motor, no sistema elétrico e até nos pneus podem levar a um veículo incendiado, seja por pane interna ou acidente de trânsito. Para que você não caia nessas armadilhas, o melhor é visitar seu mecânico regularmente e realizar as checagens necessárias. Quando estiver por conta própria na estrada, tire um tempo para conferir as peças sempre que possível.

Utilize um serviço de proteção veicular

Por fim, você ainda precisa lidar com o prejuízo que vem após a perda do veículo. Caso se trate da sua ferramenta de trabalho, vale a pena investir em alguma medida que reforce a segurança. O Serviço de Proteção Veicular é uma ótima opção, pois permite receber alguma compensação pelo que foi perdido e cobrir o valor do guincho sem gerar um alto custo a cada mês.

Com essas informações, você já está mais preparado para lidar com um veículo incendiado antes, durante e após o incidente. Lembre-se: todo preparo é importante para evitar contratempos e minimizar danos.

Gostou deste artigo e quer descobrir como contratar um serviço de proteção veicular para se proteger? Então, entre em contato conosco e veja como podemos ajudar!