Os crimes nas estradas não são incomuns para quem trabalha com o transporte de mercadorias hoje em dia. Em praticamente qualquer viagem, o motorista está sob o risco de roubo e furto de carga, especialmente se for do tipo mais visado pelos criminosos. Por isso mesmo, é extremamente importante que você procure algum serviço de proteção ou seguro para seus fretes.

A primeira coisa que vem à mente, aqui, é o serviço de seguro. Nele, você paga uma mensalidade a uma empresa e, caso o incidente esteja dentro da sua cobertura, você recebe um valor pré-determinado para arcar com o prejuízo imediatamente. Porém, para garantir o benefício, você precisa saber como acionar o serviço e entender a diferença entre roubo e furto. Por mais que sejam parecidos, os dois têm validades jurídicas diferentes.

Para ajudar a entender melhor os termos e ajudá-lo a se proteger contra o roubo e furto de carga, vamos falar sobre a diferença entre eles, como afetam o seguro e quais tipos de proteção você pode usar. Acompanhe.

Quais são as diferenças entre roubo e furto?

Você, provavelmente, já ouviu as duas palavras sendo usadas na mesma situação, mas elas possuem significados um pouco diferentes. Primeiro, um roubo é a apropriação de um objeto alheio por meio de violência. Quando alguém o ameaça ou agride para conseguir algo que é seu, então essa pessoa cometeu um roubo. O tipo mais conhecido é o assalto, onde a vítima é rendida e deve ceder seus bens para não se machucar.

Já o furto é quando a vítima não está presente e seu bem é tomado sem seu conhecimento. Por exemplo, quando você faz uma parada e, enquanto você está longe, o caminhão é aberto e a carga é levada sem que ninguém note.

Também há o chamado “furto qualificado”, que ocorre quando o criminoso danifica a propriedade durante a ação, como quebrar uma trava ou uma janela. O prejuízo é o mesmo, mas a diferença é o nível de violência na ação.

No roubo e furto de cargas, sua primeira atitude deve ser registrar o Boletim de Ocorrência. Ele será necessário para solicitar a cobertura do seguro, caso o veículo e a carga não sejam recuperados.

Quais os tipos de cobertura disponíveis?

Naturalmente, não há apenas uma modalidade disponível para proteger seu veículo e sua carga contra roubos e furtos. Aqui estão os 3 tipos principais.

Básica ampla ou restrita

Esse é o tipo mais simples de seguro, onde o cliente possui uma lista de situações de prejuízo nas quais ele pode solicitar o serviço. Dentro do transporte de cargas, a cobertura ampla permite que o dono seja indenizado por quase qualquer perda, salvo algumas exceções ao que é oferecido pela empresa. Por exemplo, caso você se desvie muito da rota voluntariamente ou a perda seja decorrente de atividade criminosa sua, o direito ao serviço é perdido.

Já o tipo restrito, como o nome diz, é um seguro um pouco mais limitado. Ele pode cobrir apenas danos causados à carga, somente roubo ou furto, etc. Dependendo do tipo de proteção que você precisa, pode ser possível (e interessante) sacrificar um pouco de proteção para conseguir um preço mais em conta.

Adicional

As coberturas adicionais são proteções extras para riscos menos comuns, incluindo o transporte aéreo, por exemplo. Como você trabalha com o transporte de cargas por terra, esse não deve ser um problema.

Ter esse tipo de proteção é uma boa ideia caso você esteja exposto a algum risco muito incomum, mas recorrente. Nesse caso, haverão cláusulas específicas para esses cenários, explicando como você será indenizado e sob quais condições.

De responsabilidade civil

Esse é o seguro mais comum para motoristas de caminhão e o que mais oferece proteção para você contra roubo e furto de carga. Nele, o tamanho da cobertura e o valor da mensalidade variam de acordo com o tipo de carga, o tipo de transporte, rota e outros fatores de risco envolvidos. Lembre-se apenas que maiores chances de acionamento do seguro significam maiores custos.

Vale ressaltar que quando você presta um frete para uma grande empresa, ela é obrigada a contratar um seguro rodoviário de responsabilidade civil, que protege a mercadoria contra danos. Ela também pode buscar outras coberturas, como proteção contra o desaparecimento de cargas, por exemplo.

O que mais influencia o custo do seguro?

Para escolher o melhor serviço de proteção, você também precisa entender como o preço dele é determinado. Além do tamanho da cobertura, há dois fatores principais que você precisa levar em conta.

Risco de roubo e furto de carga

Quando uma empresa oferece o serviço de seguro, a ideia é que você tenha como arcar com o prejuízo sem ter que pagar o valor completo de uma vez nem se endividar. Porém, se você aciona o serviço logo após pagar a primeira mensalidade, a empresa fica com um grande prejuízo. Para compensar isso, ela cobra mais caro quando o risco de acionamento é maior.

Também é uma boa ideia lembrar que algumas companhias não cobrem determinadas situações, como rotas com alta criminalidade e cargas muito instáveis. Algumas delas preferem evitar esse tipo de risco.

Valor da carga e do veículo

Outro fator importante é o quanto a seguradora terá que gastar para repor o seu prejuízo. Se uma mercadoria é muito cara, a transportadora precisará de mais dinheiro para ressarcir seus clientes. Como consequência, também é necessário pagar mais pelo seguro da carga em questão.

Independentemente do tipo de crime do qual você seja vítima, é importante tomar uma atitude rapidamente para acionar o serviço e evitar o prejuízo. Registrar o Boletim de Ocorrência, entrar em contato com a sua protetora e, acima de tudo, entender exatamente o que aconteceu para evitar erros no registro ou na solicitação de reembolso.

Com essas informações, você já pode se preparar melhor para evitar o roubo e furto de carga. Se quer aprender um pouco mais para continuar seguro, veja aqui nosso artigo sobre as cargas mais visadas pelos criminosos e como você pode se prevenir contra esses crimes.