Tombamento de caminhão: saiba como evitar

9 minutos para ler

Seguir tranquilo pela estrada, com segurança e o mínimo possível de imprevistos no trecho é o grande objetivo de todo caminhoneiro. Certamente, uma das maiores ameaças à proteção desse profissional e à preservação da sua carga acaba sendo o frequente risco de tombamento de caminhão a cada curva.

Pensando nesse grave problema, tão comum nas estradas brasileiras, vamos dar algumas dicas pontuais sobre como se livrar desse risco. Tem interesse? Então, continue a leitura!

Por que ocorre tanto tombamento nas estradas?

Caminhões e carretas tombam com bastante facilidade. Mas por que será que isso acontece tanto? Você já ouviu falar em “força g”? Esse é um termo muito comum nas corridas de Fórmula 1, por exemplo. Nos carros dessa categoria, essa tal força é de 5 g, a título de curiosidade.

Trata-se da unidade de medida para determinar a aceleração lateral que acontece em uma curva. Força g tem a ver com a gravidade que atua também em uma curva. Você pode senti-la quando percebe aquela força que o empurra contra a porta do caminhão em uma curva mais rápida.

É essa força atuante na aceleração lateral que tomba os caminhões nas estradas. Os carros de Fórmula 1 suportam 5 g nas curvas, enquanto os caminhões suportam apenas de 0,4 a 0,6 g. É bem pouco. Percebeu o risco?

Por isso, os automóveis de passeio derrapam antes de tombar, como você já deve ter observado. Já os caminhões tendem a tombar logo de cara.

Para medir a capacidade de os carros ficarem estáveis nas curvas, existe a medida SRT (Static Rollover Threshold). Em bom português, isso significa Limite Estático para Tombamento Lateral, que demonstra em g essa capacidade.

Nesse caso, enquanto um automóvel tem mais estabilidade, SRT superior a 1 g, os caminhões e veículos de carga têm a metade disso, 0,5 g. Ou seja, novamente: tombam fácil.

Esse valor, o SRT, é para mostrar a intensidade da aceleração lateral que, com certeza, levantará os pneus do lado de dentro da curva, provocando o tombamento. Os caminhões, se atingirem 0,5 g em uma curva, vão tombar. Por isso, os carros podem ir mais rápido nas curvas, com estabilidade.

Você pode ter deduzido, com isso, que quanto maior o peso do veículo, mais fácil será o tombamento. E está correto. Cargas em excesso potencializam esse risco.

Quanto maior o peso, menos aceleração já ocasiona o tombamento. Por isso, em uma mesma curva, sob a mesma velocidade, é provável que um caminhão com carga regular não tombe onde um caminhão com excesso de carga já tombou.

Como é possível se prevenir?

Mas e aí, depois de tantos números, como você faz para não tombar a sua carga? Vamos a algumas dicas básicas para você resguardar tanto a sua integridade física quanto prevenir estragos no veículo e na carga, evitando o tombamento na curva. Confira!

Evite sempre o excesso de velocidade nas curvas

Seja nas alças de acesso aos viadutos, seja nas rotatórias, em curvas abertas ou fechadas, enfim, em quaisquer situações em que tenha que trabalhar os braços no volante, mantenha sempre a atenção à velocidade. Pode parecer óbvio, mas esse é ainda o maior motivo que leva os caminhões a derraparem: excesso de velocidade na curva.

Já que o problema é comum, a solução também será bem simples: reduza a velocidade nas curvas! Trafegue sempre abaixo do limite recomendado nos trechos, ainda mais se estiver chovendo. Como você sabe, cargas pesadas devem sempre rodar abaixo do limite em pelo menos 10 quilômetros.

Nas curvas, o ideal é diminuir a velocidade, cerca de 15 a 20 quilômetros, ou até mais, do que a sinalização indica. Dessa maneira, você vai minimizar as chances de tombamento.

Fique atento ao “efeito chicote”

Outra coisa que leva ao tombamento é o tão temido “efeito chicote”, que afeta treminhões, bitrens e rodotrens. Ele é causado pela excessiva trepidação na última carreta. Se você dirige um gigante desses, tenha atenção às vibrações para não tombar.

Tenha cuidado extra ao transportar carga líquida

Transportando cargas líquidas, você deve dar mais atenção ao nível do tanque. Se não estiver cheio, o movimento do líquido, especialmente nas curvas, afetará bastante a estabilidade do caminhão.

Quando o volume da carga é parcial, ocorre o “efeito slosh”, que é o movimento da carga dentro do tanque. Esse movimento joga para o lado o centro gravitacional do veículo, mandando o volume de líquido do lado externo para o lado interno da curva, de forma brusca, dependendo da velocidade, ocasionando o tombamento do caminhão.

É claro que isso sempre depende de uma série de questões. Há que se considerar o formato do tanque, a consistência e a viscosidade do líquido e, sobretudo, o modo como será feita a manobra na curva.

Diferentes tipos de cargas afetam a dirigibilidade do caminhão. Isso ocorre, principalmente, com cargas líquidas em tanques múltiplos que, dependendo do volume de cada um, podem exercer diferentes forças sobre os eixos traseiros e dianteiros do veículo.

Tenha cuidado com as cargas penduradas ou vivas

Elas também alteram, de forma semelhante às líquidas, o centro de gravidade da carreta. Todos esses tipos de carga, por não serem fixas, exigem muito maior domínio do condutor nas manobras em curvas, pelo movimento constante que acabam produzindo.

Nas curvas, como em todo o trecho, é preciso prudência e respeito à vida. Dessa forma, você evita grandes acidentes e pode seguir tranquilo de volta a sua para casa e sua família.

Não basta obedecer à sinalização. A profissão de caminhoneiro exige perícia, habilidade e experiência para conduzir o veículo com segurança, tendo em vista as muitas situações que se enfrenta e que alteram a dirigibilidade do caminhão.

Quais as principais causas do tombamento de caminhão?

Além de conhecer as dicas para se prevenir de um tombamento, também é muito importante que o caminhoneiro responsável esteja familiarizado com as principais causas desse tipo de acidente, até para que se possa evitá-las. Confira, abaixo, algumas delas.

Pistas escorregadias

As pistas escorregadias, definitivamente, estão entre as principais causas do tombamento de caminhão. O Brasil é um país com elevada pluviosidade em muitos de seus estados, e o asfalto molhado pode ser um convite para um acidente grave. A situação piora ainda mais se os pneus estiverem carecas, com calibragem inadequada ou carregando excesso de peso.

Por isso, pode ser muito interessante conhecer bem o trajeto, de maneira que a atenção possa ser redobrada em curvas perigosas, ou mesmo, em retas nas quais se desenvolvem altas velocidades. Muitas estradas contam com diferentes relevos, traçados e condições de infraestrutura, e saber isso de antemão tornará a sua viagem muito mais tranquila.

Distrações evitáveis

Também não dá para falar das principais causas do tombamento de caminhão sem mencionar distrações que poderiam ser evitadas. Isso, aliás, vem aumentando nos últimos anos, por conta dos celulares e aplicativos de comunicação. Afinal, quem nunca se sentiu tentado a dar uma olhadinha no celular e checar aquela mensagem ou e-mail que estava sendo tão aguardado?

A grande questão é que basta uma fração de segundo para uma tremenda tragédia. Lembre-se de que a condução de um veículo de porte tão grande exige muita responsabilidade e cuidado, até para não colocar a vida de outros em risco. O mais recomendável é desligar o aparelho ou, pelo menos, silenciar as chamadas e notificações.

Má distribuição do peso

É fácil inferir que a má distribuição de peso pode causar o tombamento de caminhão. O tipo e o tamanho da carga transportada têm total influência na dirigibilidade, na estabilidade e no centro de equilíbrio do veículo, que precisa ser muito bem avaliado antes de iniciar viagem, exigindo muita atenção por parte do motorista.

Conteúdos líquidos ou muito altos, por exemplo, podem ser especialmente desafiadores. Por isso, é recomendável passar por cursos específicos e posicionar detalhadamente cada elemento da caçamba. Vale lembrar que isso pode ser necessário até mesmo durante o trajeto, pois freadas bruscas e mudanças de direção podem deslocar o carregamento.

O que o motorista pode fazer em caso de tombamento?

Você tomou todos os cuidados para evitar o tombamento do caminhão, mas isso pouco adiantou? Não é hora de desespero, e existem algumas atitudes que precisam ser tomadas. A primeira delas é avaliar se você ou mais alguém se feriu com gravidade no acidente, para buscar ajuda médica o quanto antes, ligando para o SAMU (192) ou os bombeiros (193).

Feito isso, é preciso sinalizar na pista, para que os outros veículos não colidam com o seu. O ideal é usar o triângulo e cones, mas você pode improvisar com galhos. Estando em segurança, é hora de comunicar a ocorrência para sua seguradora, que definirá os próximos passos. Por fim, faça um check-up médico ao chegar em casa, para descartar possíveis lesões internas.

Então, caminhoneiro, agora, que você já está expert no assunto, certamente, tem mais condições de evitar tombamento de caminhão e seguir sua viagem com segurança e tranquilidade!

Para mais dicas como estas, não deixe de assinar a nossa newsletter! Fazendo isso, você será notificado por e-mail cada vez que sair um post novo!

Posts relacionados

Deixe um comentário