Para circular com segurança e garantir a qualidade de vida, é preciso mais que manter a manutenção do veículo em dia e pagar os impostos. Não é novidade que transitar pelas estradas brasileiras apresenta alguns riscos, principalmente de furtos, roubos e acidentes. Por isso, ter com quem contar nos momentos emergenciais é indispensável para proteger o patrimônio e evitar dores de cabeça.

Encontrar a melhor solução e assegurar a proteção do veículo requer colocar todos os gastos na ponta do lápis e pesquisar bastante. Afinal, são diversas as despesas cotidianas com o caminhão e com a rotina nas estradas. O ideal é buscar o melhor custo-benefício sem abrir mão da qualidade do serviço.

Fizemos este artigo para explicar quais fatores influenciam no preço da proteção veicular, quais são suas vantagens, como funcionam as indenizações e por que a proteção colaborativa custa menos. Continue a leitura e fique por dentro do assunto.

O que influencia o preço da proteção veicular?

Diferentemente do seguro tradicional, o preço da proteção veicular não é determinado pelo perfil do motorista. Ou seja, o Questionário de Avaliação de Risco (QAR) não é utilizado para estabelecer o valor.

Esse é um dos motivos que tornam a proteção colaborativa uma alternativa viável, já que o custo cai consideravelmente. Por outro lado, isso não quer dizer que exista uma tabela única de preço. Entenda os fatores que são considerados:

Tabela FIPE

O principal fator em relação ao preço da proteção veicular é o valor do bem. Para saber qual é sua importância monetária adota-se como referência a tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, uma vez que ela acompanha os índices de depreciações e as tendências do mercado. Assim, uma porcentagem é estabelecida em referência ao preço do veículo e não daquele indicado na nota fiscal do automotor.

Ocorrência de sinistros

O cálculo da mensalidade leva em consideração os sinistros sofridos pelos membros do grupo durante o mês anterior. Portanto, não há um estudo sobre a possibilidade de eventuais ocorrências, mas uma avaliação dos serviços que foram prestados.

Funciona do seguinte modo: no início de cada mês todos os gastos com batidas, destombamentos, roubos, incêndios e demais sinistros são calculados. Feito isso, o valor total é dividido entre todas as cotas da associação. Isso quer dizer que o valores mensais podem sofrer variações para mais ou para menos.

Região do caminhoneiro

Outro fator que afeta o preço da proteção é a região do caminhoneiro. O Brasil tem um território amplo e isso significa que o acesso necessário à assistência nos casos de sinistros não acontece sempre da mesma forma. Além disso, as condições das estradas, as ocorrências de acidentes e a disponibilidade de prestadoras de serviços locais mudam substancialmente de acordo com a localização.

Esses são os critérios utilizados para estipular quanto custará conferir proteção ao seu bem. Agora que você sabe disso, podemos falar sobre outros aspectos muito importantes: o funcionamento e pagamento das indenizações.

Como funcionam as indenizações?

O valor da indenização, assim como o investimento mensal na proteção, é baseado no indicativo da tabela FIPE. Esse critério é utilizado para os sinistros de roubo ou perda total. Vale lembrar que os preços estipulados pela tabela sofrem alterações ao longo do ano e, para garantir o direito à indenização, o associado deverá pagar um valor de 3% em relação ao valor do seu veículo.

Nos casos de reparo utiliza-se a seguinte ponderação: quando o conserto apresentar valor superior a 3% do preço de mercado do veículo, a cooperativa arcará com os pagamentos. Quando esse montante ultrapassar os 75%, será atribuído ao automotor o status de perda total e o proprietário será ressarcido integralmente.

Além disso, a indenização é fixada com base no mês de pagamento e não naquele relacionado ao sinistro. Ela também considera a soma dos sinistros dos períodos anteriores e a quitação das mensalidades dos demais associados. Por esse motivo, geralmente o pagamento ocorre num prazo estimado de 60 dias.

Essas são as regras básicas para o pagamento das indenizações. Sem complicações, não é? A prestação de serviço desburocratizada é um dos grandes diferenciais da proteção veicular. Continue a leitura e conheça quais são os outros.

Quais as vantagens da proteção veicular?

A verdade é que ao buscarmos um produto ou serviço estamos sempre de olho na obtenção de vantagens e no menor custo, não é mesmo? Veja quais são os principais motivos para você se tornar um membro da Proteauto:

  • assistência 24 horas: reboque, chaveiro, socorro elétrico e mecânico, apoio em caso de pane seca, serviço de táxi, remoção e transporte do veículo, retorno ao domicílio, acompanhante em caso de acidente, hospedagem e diversos outros;
  • descontos e benefícios junto à rede conveniada;
  • proteção contra roubo e furto;
  • cota de participação;
  • serviço de monitoramento;
  • adesão descomplicada;
  • proteção a terceiros, entre outros.

Por que a proteção colaborativa custa menos?

Após conhecer algumas vantagens, pode ser que você se questione: por que a Proteauto oferece esses serviços por um valor acessível? Bom, isso acontece porque o grupo colaborativo foi construído por quem entende o que significa ser caminhoneiro.

A associação sem fins lucrativos surge em 2009, a partir da reunião de condutores que perceberam que é mais viável trabalhar em conjunto para adquirir os bens e serviços necessários. Afinal, comprar 500 itens e não 2, por exemplo, reduz todos os custos. Com o tempo, outros prejuízos também começaram a ser divididos.

Estudos e levantamentos foram realizados a partir dos roubos, furtos e acidentes. Para garantir o ressarcimento dos danos, um percentual de arrecadação foi incorporado. Dessa maneira, se tornou possível estipular um faturamento que possibilitasse arcar com as despesas e criar um grupo apto a dividir todos os prejuízos resultantes das perdas.

É provável que você tenha percebido que um dos objetivos do grupo é oferecer um preço da proteção veicular justo e compatível com a realidade dos caminhoneiros. Lembre-se de que para proteger o seu patrimônio, desfrutar das vantagens e evitar surpresas desagradáveis é necessário recorrer a associações confiáveis e que ofereçam serviços de qualidade.

Gostou deste artigo? Deseja proteger o seu veículo? Entre em contato conosco, você será muito bem-vindo no time de associados.